O anúncio oficial do Atlético confirmando a chegada do técnico venezuelano Rafael Dudamel já começa a modificar a "estrutura humana" de trabalho no clube. E duas mudanças acontecerão na comissão técnica alvinegra.

O ex-volante Adilson, que encerrou carreira precocemente por problemas cardíacos e havia sido contratado pelo clube como auxiliar técnico, pode deixar a Cidade do Galo. Além dele, o coordenador de preparação física, Daniel Félix, também não ficará no clube.

A saída de Adilson foi antecipada pelo Superesportes. O empresário do ex-jogador disse em entrevista que Adilson ficou muito chateado com o aviso da demissão, feito pelo diretor de futebol alvinegro, Rui Costa. Entretanto, o Atlético, em nota, afirma que o dirigente apenas pediu para que Adilson não se apresentasse dia 8, por causa da indefinição sobre sua situação no clube.

"Com relação ao Adilson, que em 2019, após o anúncio do encerramento de sua carreira, experimentou a função de integrante da comissão técnica,  ele foi avisado, por meio de seu empresário, para não se apresentar no dia 8, junto com o elenco do Atlético, enquanto sua situação não for definida pela diretoria", publicou o clube preto e branco. 

Já Daniel Félix usou sua rede social particular para se despedir do Galo. "Clube Atlético Mineiro, foi uma honra", postou em sua página no Instagram. Ele será substituído por Joseph Cañas, outro venezuelano que irá compor a comissão técnica de Rafael Dudamel.

Na mesma nota o Atlético se despediu de Félix: "Em função da vinda de uma nova comissão técnica, juntamente com o treinador Dudamel, Daniel Félix, que era coordenador de preparação física, foi desligado do Clube. Agradecemos a ele, um profissional exemplar e de reconhecida competência, que prestou relevante serviço", explicou a diretoria do Galo. 

Adilson

Adilson foi contratado pelo Atlético em 2017 como volante, função que ele exerceu no clube até julho de 2019, quando precisou interromper precocemente a carreira por problemas cardíacos. 

Por causa da aposentadoria forçada dos campos, o Atlético convidou Adilson para ser um dos auxiliares técnicos do clube até o fim de seu contrato, válido até 2021. Entretanto, a decisão pela mudança de comando - saída de Vagner Mancini e chegada de Dudamel - mudou os planos da diretoria atleticana, que rescindirá o vínculo sem cumprir a promessa anteriormente feita ao ex-jogador.

Daniel Félix

Contratado em junho de 2019, Daniel Félix ficou apenas seis meses no Atlético. O início da carreira do preparador físico foi nas categorias de base do Flamengo. Ele também passou pelo futebol chinês (Tianjin Quanjian), Criciúma, Botafogo, até chegar ao Atlético.

Antes de chegar ao Galo, Daniel Félix ainda trabalhou no Flamengo mais uma vez, na comissão técnica de Abel Braga. Com a demissão do treinador à época, também deixou o Rubro-Negro. 

Além de Cañas, Dudamel terá em sua comissão técnica Marcos Mathías, o auxiliar técnico, Rodrigo Piñón, que trabalhará como analista de desempenho, e Jeremías Álvarez, um coach motivacional.