Dois dias após se encontrarem na Federação Mineira para a reunião técnica visando o clássico de domingo, Atlético e Cruzeiro tiveram encontro no Tribunal de Justiça Desportiva de Minas Gerais. O Galo acionou o TJD para obter liminar do presidente do órgão para derrubar algumas decisões obtidas pela Raposa na reunião da FMF.

O principal motivo do Galo acionar novamente a Justiça em questões envolvendo o clássico foi novamente nos preços praticados pela Raposa aos torcedores visitantes do Atlético. Serão 5.940 ingressos cedidos, antes ao preço único de R$ 120. Mas o Atlético conseguiu argumentar que tal preço era injusto, pois metade dos setores condicionados aos visitantes do Mineirão são em locais no qual a torcida do Cruzeiro ocupará (mesmo setor) e pagará um preço que varia de R$ 30 a R$ 20. 

Liminar do TJD - Atlético x Cruzeiro

Se baseando em artigos do Regulamento Geral das Competições da CBF, o Atlético ainda conseguiu outros passos no TJD, como derrubar a decisão do Cruzeiro de obrigar o Galo a adiquirir 100% dos ingressos de visitante - 5.940. Além disso, o Cruzeiro fica sob o dever de enviar ao Galo o número de ingressos que o clube alvinegro pretende comprar num prazo até três horas do pagamento do Atlético. A cada hora que a Raposa atrasar, será aplicada pena de R$ 100 mil (por hora).

TJD

A liminar do Atlético foi concedida de forma "parcial" pelo TJD. O presidente do órgão, Igor Fonseca, não conheceu o pedido do Galo de sua torcida entrar com instrumentos e bandeiras, uma vez que não há presença do "clube requerido" (Cruzeiro) em resistir a esta possibilidade.