Já de olho no clássico do próximo domingo (11), contra o Cruzeiro, o Atlético terá um desafio interessante no meio de semana. Após quase 31 anos, o alvinegro entra em campo para encarar novamente o Pouso Alegre, pela oitava rodada do Campeonato Mineiro.

O último embate entre as duas equipes aconteceu em 1990, com empate em 3 a 3, no Sul de Minas. No mesmo ano, na partida em que o Atlético comemorava o aniversário de 82 anos, o 'Pousão' aprontou e conseguiu vitória por 2 a 1, em pleno Gigante da Pampulha. Na temporada anterior, o confronto, primeiro oficial, terminou empatado 1 a 1. 

Com várias paralisações no futebol profissional ao logo dos anos e longe no Módulo I desde 1992, o Pouso Alegre se reestruturou e, a partir de 2018, trilhou o caminho de volta à elite do Estadual.

Hoje, terceiro colocado, o time comandado pelo técnico Emerson Ávila sonha em disputar a segunda fase da competição; para isso, terá que se manter no G-4 até o término da 11ª rodada.

Entrevistado desta segunda-feira (5), na Cidade do Galo, o atacante Sasha foi sabatinado sobre o clássico contra a Raposa. Contudo, não deixou de lado a importância do duelo da quarta-feira (7); mesmo que de forma ligeira.

“Ansiedade e expectativa de jogar um clássico (contra o Cruzeiro) pela primeira vez. A gente sabe da importância, vale muita coisa, é um jogo à parte. Então, a gente tem que se preparar da melhor forma possível para entrar e buscar impor o jogo, assim como a gente vem fazendo. É claro que tem o jogo no meio de semana, não podemos esquecer, mas clássico é clássico. Então, a gente vai trabalhar bem na semana para chegar no domingo e sair com a vitória”, destacou o atacante.

Sobre o duelo contra o maior rival histórico, Sasha também foi questionado sobre o favoritismo do Galo sobre a Raposa, principalmente pelos momentos distintos que vivem.

“Clássico é difícil botar um favorito, mas nosso elenco, sim, é qualificado. O investimento está sendo feito, é um projeto. Então, a gente tem, sim, por estar vestindo esta camisa, a obrigação de vencer. E a gente vai trabalhar forte para isso, sem dúvida nenhuma. São 14, 15 dias falando sobre clássico. A gente tem que estar preparado para isso. Que na próxima semana a gente possa estar aqui comemorando e falando bem do nosso time”, finalizou.