Neste sábado (26), às 21h, o Mineirão será palco de um dos mais aguardados duelos do Brasileirão, por toda a crise ocorrida nos vestiários envolvendo Rogério Ceni e o Cruzeiro, sua ex-equipe. A Raposa e o Fortaleza, comandado por Ceni, travarão uma queda de braços movida pela briga contra o rebaixamento e as rusgas do passado.

Relembre dez capítulos da história conturbada envolvendo Ceni e os celestes:

11/8: “Até logo, Fortaleza!”
Rogério Ceni se despede dos jogadores do Fortaleza; ele seria anunciado como substituto de Mano Menezes no Cruzeiro. Mal sabia ele que, cerca de um mês e meio depois, voltaria a comandar o Tricolor de Aço.

13/8: Momento mágico!
Em sua apresentação oficial na Toca II, Ceni não poupou elogios ao Cruzeiro. “Um momento mágico a qualquer pessoa chegar a um clube como o Cruzeiro”, dizia ele naquele dia, prometendo devolver ao time o seu “DNA”.

Cruzeiro

18/8: Pescaria na estreia
Que melhor maneira de iniciar sua saga na Raposa do que com uma vitória contundente sobre o então líder do Brasileirão? O time celeste fez valer a superioridade numérica – Gustavo Henrique foi expulso no primeiro minuto – e venceu por 2 a 0, com gols de Fred e Thiago Neves, que, após a partida, rasgou elogios ao treinador. “Tivemos mais intensidade com o Rogério, com marcação mais em cima e mais posse de bola, do jeito que ele (Ceni) quis”, declarou TN10. O resultado tirou o Cruzeiro da zona de rebaixamento. Tudo azul! Por enquanto...

Cruzeiro

25/8: Prólogo para o desastre
O Cruzeiro vencia o CSA, fora de casa, por 1 a 0, até os 48 minutos do segundo tempo, quando Apodi fez valer a ‘Lei do Ex’ e deixou tudo igual. Um empate amargo e que iniciou a primeira crise interna envolvendo treinador e jogadores, que não gostaram da entrevista coletiva de Ceni após o empate, segundo apurou o Hoje em Dia.

1/9: Clima amenizado (ou quase)
O triunfo por 1 a 0 sobre o Vasco, com gol do meia Mauricio, no Mineirão, foi fundamental para a Raposa na luta contra o rebaixamento, embora já surgissem as primeiras críticas de parte da torcida ao trabalho de Ceni. O desempenho do time ante CSA e Vasco – que desperdiçou um pênalti na ocasião – não agradou a uma parcela da China Azul.

Cruzeiro

4/9: Virou crise!
A goleada por 3 a 0 sofrida para o Internacional e a eliminação na Copa do Brasil tiraram o meia Thiago Neves do sério. “Improvisar três ou quatro jogadores numa decisão é muita coisa. Ficamos sabendo disso na preleção”, disparou ele contra Ceni. O treinador, por sua vez, rebateu: “Às vezes, o que aconteceu, acredito muito na declaração do Thiago, foi que ele viu um amigo no banco de reservas, no caso, o Edilson, tá entendendo?”. O clima ficou pesado dali em diante.

8/9 – 21/9: Um fracasso após o outro
O Cruzeiro que Ceni tanto ansiava não passou de uma utopia. Dentro de campo, o time acumulava fracassos. O revés para o Grêmio por 4 a 1, no Independência, aumentou a crise no vestiário, ampliada pelas derrotas para Palmeiras (1 a 0), de Mano Menezes, e Flamengo (2 a 1), com direito a gol de Arrascaeta. Ceni havia pedido que o deixassem trabalhar. Nada, porém, surtia efeito.

Cruzeiro

25/9: Deu as costas
Depois do empate sem gols com o Ceará, Dedé exigiu no vestiário que Rogério Ceni e Thiago Neves se entendessem e que todos do elenco fossem mais profissionais. O técnico não gostou nada do que ouviu, deu as costas e saiu. A repercussão desse episódio foi extremamente negativa e culminou no fim de uma era.

Cruzeiro

26/9: Demissão e “caça às bruxas”
Rogério Ceni não resistiu à série de fracassos e aos problemas com o elenco e acabou demitido pela diretoria celeste. Em sua carta de despedida, agradeceu ao apoio da torcida e disse que ofereceu à cúpula cruzeirense comandar o time de graça, mas não foi atendido. Depois disso, parte da torcida passou a culpar atletas como Dedé, Thiago Neves e Edilson pela queda de Ceni. A situação chegou ao ponto de o zagueiro fazer um apelo para que os torcedores parassem de ofender sua família.

Cruzeiro

15/10: “A culpa é dele também”
Ceni voltou para o Fortaleza, e o Cruzeiro contratou Abel Braga. Enquanto o time cearense ocupa o 14° lugar, com 31 pontos, a Raposa está na zona de rebaixamento, em 17°, com 28. Recentemente, Thiago Neves falou a respeito do choque entre ele e Ceni: “Estão me culpando pela demissão do Rogério, e eu não fiz isso, não faço isso. A culpa não foi só minha, foi do Rogério também”. Neste sábado, Ceni e Cruzeiro escreverão mais um capítulo dessa saga. Será que o treinador vai se “vingar” do time e afundar o clube celeste? Ou será que Neves e companhia é quem vão à forra?