Os governos das cidades de Antioquia e Medellín enviaram uma carta ao embaixador brasileiro na Colômbia, Julio Bitelli, pedindo a condecoração do jovem que ajudou a resgatar as vítimas do acidente com o avião da Chapecoense, no dia 29 de novembro, nos arredores de Medellín.

Johan Alex Ramírez, 15, ajudou os socorristas a chegarem ao local da queda, que é uma região de difícil acesso. As terras são da família do garoto e, por esse motivo, era um local conhecido de Johan. À época do acidente, o governo brasileiro condeceu o prêmio aos bombeiros que participaram das buscas por vítimas. O pedido de premiação ao garoto, segundo a rádio boliviana "Caracol', foi feito pelo governador de Antioquia, Luis Pérez Gutiérrez.

Segundo o jornal "Extra", as autoridades pedem, na carta, que o prêmio seja "em nome de todo o povo antioqueño pelo menino Johan Alex Ramírez, que nessa noite colaborou oportuna e eficazmente nos trabalhos de resgate". A premiação aos bombeiros será oferecida nesta sexta-feira (16), no Palácio do Planalto, em Brasília.
 


“A criança é símbolo dos antioqueños solidários, nobres, trabalhadores e serviçais, sempre atentos a servir a seus semelhantes. O reconhecimento ajudará a forjar nos demais meninos, meninas e adolescentes a cultura da solidariedade e do bem comum, que nos ajudará a superar as dificuldades e a nos entender como irmãos", disse o governador.

Haviam 79 pessoas à bordo do avião que caiu enquanto seguia para o aeroporto de Medellín. 71 pessoas morreram e outras seis sobreviveram. Entre as vítimas fatais, 19 eram jogadores da Chapecoense, outros 31 eram integrantes da delegação e diretoria do time e 21 eram jornalistas que iriam cobrir o jogo na Colômbia.