Com 10% da capacidade de cada setor do Maracanã liberados para receber convidados, Brasil e Argentina se enfrentam neste sábado (10), às 21h, na final da Copa América. O maior clássico do continente será um duelo entre a força do coletivo e o poder do individualismo.

Comandada por Tite, a Seleção Brasileira poucas vezes encantou na competição e, nas quartas e nas semifinais, recebeu críticas por conta do futebol abaixo da média, apesar de ter superado Chile e Peru para chegar a esta decisão.

E ficou claro ao longo de todo o torneio o equilíbrio de seus setores. A qualidade do coletivo do time se ilustra nos números. A equipe canarinho é dona do melhor ataque (12 gols) e da defesa menos vazada (dois gols sofridos) da Copa América. O Brasil ganhou cinco partidas e empatou uma.

A Argentina também chega invicta à final, com quatro triunfos e dois empates. A classificação se deu de forma dramática, nos pênaltis, contra a Colômbia, após 1 a 1 no tempo normal, nas semifinais.

La Albiceleste não tem os mesmos números coletivos que os da Seleção Brasileira, mas possui peças individuais que fizeram a diferença até aqui. A estrela da companhia, mais uma vez, é Messi, artilheiro da competição, com quatro gols, um a mais que outro argentino, o colega de setor Lautaro Martínez, o vice-goleador da copa.

Indagado como fará para parar La Pulga, Tite tentou se fazer de desentendido. “Eu sei (como pará-lo), mas não vou dizer. A gente não neutraliza, a gente diminui ações do adversário”, comentou o treinador da equipe verde-amarela, prevendo uma grande final, digna das tradições do clássico.

“São os dois últimos sul-americanos campeões do mundo. Brasil em 2002 e 1994; Argentina em 1986. Tem uma dimensão. Sem desprezar Colômbia, Uruguai... São ícones do futebol mundial. Falar de Messi e Neymar é falar de excelência, virtudes técnicas, mentais, físicas, capacidade de criação muito alta. É um grande desafio, um grande espetáculo”, afirmou.

O Brasil vai em busca de seu décimo título da Copa América. A Argentina tenta sua 15ª conquista.

Público

A Prefeitura do Rio de Janeiro permitirá a presença de torcedores no estádio, limitada a 10% da capacidade do Maracanã. O público convidado terá que respeitar um espaçamento mínimo de dois metros entre cada pessoa ou família.

Brasil x Argentina

Neymar é o destaque do time de melhor ataque e defesa menos vazada da Copa América; Messi é o artilheiro da competição e a estrela da Argentina