Disputar uma partida com o time desfalcado é normal, assim como a tendência de a equipe ter menos ausências no compromisso seguinte. Com o Atlético Mineiro, porém, a situação se agrava a cada rodada do Campeonato Brasileiro. E não será diferente neste domingo no estádio Independência, em Belo Horizonte, diante do Flamengo.

Se o técnico Cuca teve que se desdobrar para escalar o time alvinegro diante de 12 desfalques na última quarta-feira, quando foi derrotado pelo Atlético Paranaense, vai ter que ser ainda mais criativo para montar a equipe que disputará a partida pela 30.ª rodada do Brasileirão, marcada para as 16 horas, pois nada menos que 14 atleticanos ficarão de fora do confronto contra o histórico rival.

Marcos Rocha e Alecsandro não poderão atuar porque foram expulsos, enquanto que Leandro Donizete, Diego Tardelli, Josué e Luan terão que cumprir suspensão pelo terceiro cartão amarelo e Júnior César não poderá jogar devido a uma cláusula do contrato com o Flamengo, de quem o lateral-esquerdo foi emprestado. Além deles, Rever, Gilberto Silva, Richarlyson, Michel, Ronaldinho Gaúcho e Dátolo estão lesionados e Guilherme, apesar de liberado pelo departamento médico, ainda terá que recuperar a forma física e também ficará de fora do jogo.

Os únicos alívios para o treinador são os retornos de Jô e Victor, que estavam com a seleção brasileira, e de Pierre e Leonardo Silva, que cumpriram suspensão e estão liberados. Mesmo assim, Cuca vai acionar atletas da base. "Muitos meninos foram convocados em cima dessa necessidade para compor o banco também", observou.

Havia apreensão em relação à situação de Victor, julgado na última sexta pelo Superior Tribunal de Justiça Desportiva (STJD) pela expulsão contra o Criciúma em 25 de setembro, mas ele foi punido com apenas um jogo de suspensão, que já cumpriu, e sua presença na partida foi confirmada.