O sistema ofensivo do América não está entre os melhores da Série B do Brasileiro. Com 18 gols em 17 duelos, o time é apenas o décimo melhor ataque da competição, embora o alviverde esteja evoluindo nesse sentido: nas quatro últimas rodadas, balançou as redes nove vezes. Por outro lado, a defesa vem mantendo uma regularidade, um dos fatores que explicam a campanha positiva na competição.

Aliás, os três primeiros colocados são os que menos levaram tentos no torneio. O Coelho, em terceiro lugar na tabela, é o segundo menos vazado, com dez gols sofridos. Neste sentido, está atrás somente da líder Chapecoense (tomou cinco gols). O vice Cuiabá (levou 14) detém a terceira retaguarda mais sólida. 

A fórmula para este bom desempenho defensivo, segundo o lateral-direito Diego Ferreira, é a disciplina tática de toda a equipe mineira, o que vem influenciando também para um bom desempenho do ataque.

"O professor (Lisca) sempre ensina a trocar o 'eu' pelo ‘nós’. Os jogadores estão crescendo. Com isso, tenho dado assistência e participado dos gols. Na parte defensiva, estamos tomando poucos gols. Isso tudo para mim é satisfatório demais", analisou.

50 jogos

Na última terça-feira, na vitória por 3 a 1 sobre o Brasil de Pelotas, Diego Ferreira completou 50 jogos pelo América.

"Para mim é um feito histórico, não só por ter completado 50 jogos, mas também por permanecer no mesmo clube de uma temporada para a outra. Uma felicidade imensa, minha e da minha família. Ficamos felizes pelo que estamos construindo com o América", disse.

América

América e Cuiabá só estão atrás da Chape no quesito melhor defesa da Série B