Um dos principais problemas do Cruzeiro teve solução na manhã desta sexta-feira. A exclusão do clube do Profut e uma dívida com a União de R$ 334 milhões, tornavam a vida financeira um grande problema. Mas um acordo foi fechado com a Procuradoria Geral da Fazenda Nacional (PGFN) e além de um grande desconto, foi acertada a forma de parcelamento do débito.

Sérgio Santos Rodrigues CruzeiroSérgio Santos Rodrigues afirma que problema tributário está resolvido no Cruzeiro após acordo com a PGFN

“A equipe jurídica do Cruzeiro fez um acordo com a Procuradoria da Fazenda Nacional e resolvemos essa questão tributária que tanto nos incomodava e já incomoda o Cruzeiro há tanto tempo”, anunciou o presidente Sérgio Santos Rodrigues, por vídeo, no início da tarde desta sexta-feira.

Segundo o dirigente, a saída do clube do Profut, há alguns dias, nem chegou a ser tão lamentada por ele e sua equipe, pois tinha confiança num acordo com a PGFN. E ele anunciou os números: “Além de um grande desconto, caiu de R$ 334 milhões para R$ 178 milhões a dívida, economia de R$ 156 milhões, este valor será pago de maneira parcelada. De maneira que a gente consiga absorver este custo dentro do Cruzeiro. O problema não é o tamanho da dívida, mas a forma de pagar essa dívida, o fluxo de vencimento, mas conseguimos equalizar isso. Este problema tributário se encerra basicamente no Cruzeiro”.

Segundo Sérgio Santos Rodrigues, o acordo faz com que sejam retirados do balanço deste ano os R$ 156 milhões que o clube conseguiu na negociação com a PGFN.