Com documentos, vídeos e BO, Galo envia relatório à Conmebol pedindo ‘rigorosa punição’ ao Boca

Da Redação
esportes@hojeemdia.com.br
24/07/2021 às 17:15.
Atualizado em 05/12/2021 às 05:30
 (Lucas Prates/Hoje em Dia)

(Lucas Prates/Hoje em Dia)

O duelo de volta das oitavas de final da Copa Libertadores, entre Atlético e Boca Juniors, disputado na última-terça-feira (20), no Mineirão, segue repercutindo nos bastidores. Neste sábado, o Galo informou que enviou um relatório à Conmebol, por meio da Confederação Brasileira de Futebol (CBF), pedindo uma rigorosa punição ao clube argentino.

Em publicação nas redes sociais (confira abaixo), o Alvinegro informou que anexou documentos, vídeos e o boletim de ocorrência (BO) que, segundo o Atlético, comprovam de forma inequívoca a responsabilidade do Boca nos atos de violência cometidos após a partida.

Na postagem, o Galo destacou que os argentinos tentaram invadir os vestiários da arbitragem, depois o do Alvinegro, além de agredirem seguranças, policiais militares e depredarem patrimônio do estádio.

O Atlético afirma que as ações infringiram o Código Disciplinar da Conmebol, e pede que a entidade máxima do futebol sul-americano puna os infratores de forma exemplar.

Repercussão

Após a confusão no Mineirão, membros da delegação do Boca Juniors passaram a noite prestando esclarecimentos à Polícia Civil. Dois integrantes tiveram que pagar fiança deR$3 mil para serem liberados. Já outras seis pessoas assinaram um Termo Circunstanciado de Ocorrência (TCO) para poder retornar à Argentina.

Nos dias seguintes ao duelo - que terminou com a classificação do Galo na disputa de pênaltis, após empate no tempo normal -, o presidente do Boca, Jorge Amor Ameal, alegou que seu time foi prejudicado pela arbitragem nos dois jogos do confronto, acusou o Atlético de ter força política junto à Conmebol e de ter provocado a confusão.

Já Miguel Angel Russo, técnico dos Xeneize, afirmou que a delegação do Boca se defendeu de agressões de policiais e seguranças do estádio.

Certo é, que em meio a esse clima hostil, o Atlético vai ter que voltar a Argentina para o jogo de ida das quartas de final da Libertadores, contra o River Plate. Ainda sem uma definição, a Conmebol reservou os dia 10, 11 e 12 de agosto para a realização da partida. A volta será entre os dias 17, 18 e 19 de agosto, no Gigante da Pampulha.  

Confira a publicação do Atlético sobre o tema:

O Clube Atlético Mineiro informa que fez representação à Conmebol, via Confederação Brasileira de Futebol (CBF), solicitando rigorosas punições ao Club Atlético Boca Juniors pelos atos praticados após o jogo das oitavas da Copa Libertadores, no Mineirão, no último dia 20.— Atlético (@Atletico) July 24, 2021
(...) demonstrar ao mundo do futebol que atitudes como as ocorridas serão passíveis de severas consequências. Se medidas assim forem adotadas, a Conmebol estará dando relevante contribuição para a paz e para o chamado "fair play" no futebol.— Atlético (@Atletico) July 24, 2021
Compartilhar
Ediminas S/A Jornal Hoje em Dia.© Copyright 2022Todos os direitos reservados.
Distribuído por
Publicado no
Desenvolvido por