Titular da zaga do Atlético, o zagueiro Iago Maidana tem interesse europeu, mas o Galo já se adiantou para transformar a estadia de empréstimo em um contrato de transferência definitiva. A partir de 1º de janeiro, o defensor tem um vínculo já pré-acertado com o alvinegro com duração de cinco anos.

Contratado junto ao São Paulo por empréstimo em janeiro, Iago Maidana teve sua ligação trabalhista com o Tricolor renovada até junho de 2019. Entretanto, em janeiro, ele fica disponível para assinar um pré-contrato com qualquer clube, que será justamente no Atlético.

Uma peça deste quebra-cabeça é o time Monte Cristo, da terceira divisão de Goiás. Protagonista do escândalo que marcou a carreira do jovem volante, acusado de ser "barriga de aluguel" de um grupo investidor no mercado da bola, o Monte Cristo detém 40% de Maidana. O Hoje em Dia apurou que o Atlético está ciente desta situação, e, por isso, não poderia fazer qualquer tipo de investimento em Maidana até dezembro de 2018, caso contrário teria de se acertar com o clube goiano.

No Monte Cristo, Maidana foi registrado por um grupo chamado Itaquerão Soccer, que o comprou do Criciúma. O São Paulo, então, pagou R$ 2 milhões ao Monte Cristo, num caso que chegou a derrubar o ex-presidente tricolor Carlos Miguel Aidar. A CBF investigou o caso, uma vez que é proibido que "terceiras partes" (empresário, empresas e pessoas físicas) detenham fatia de jogadores. 

O Hoje em Dia tentou entrar em contato com o Monte Cristo, através dos telefonemas registrados no próprio site do clube. O telefone fixo, entretanto, é de um estabelecimento comerical de Goiás, e os telefones do presidente - Getúlio - e do diretor de futebol - John - não recebem chamadas.