A cidade de Chapecó (SC) teve nesta terça-feira mais uma homenagem, a última de forma oficial, às vítimas do acidente aéreo que matou 71 pessoas - entre jogadores, comissão técnica e dirigentes da Chapecoense, além de jornalistas brasileiros e tripulação boliviana - e deixou seis feridos em Medellín, na Colômbia, há pouco mais de uma semana. Uma missa de sétimo dia a céu aberto, sem chuva, foi realizada para mais de 1.500 pessoas na praça em frente à Igreja Matriz.

O evento foi realizado fora da igreja por causa do número de pessoas e foi conduzido por Dom Sérgio Moura, presidente da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB). Todas as vítimas tiveram seus nomes lidos e receberam uma homenagem individual com um toque de tambor.

Daiana Palaoro, filha do ex-presidente Sandro Palaoro, uma das vítimas do acidente, fez um discurso emocionante em nome do clube e arrancou palmas de todos os presentes. Ao fim da cerimônia, crianças da escolinha soltaram balões brancos.

A cerimônia se encerrou com os presentes cantando o hino da Chapecoense e soltando gritos de "é campeão" e "vamos, vamos, Chape".

Durante a semana, a cidade viveu um grande luto e clima de tristeza que abalou a todos. Vários estabelecimentos ficaram fechados, festas e eventos foram cancelados e a Arena Condá, estádio da equipe, virou um centro de orações e homenagens. No último sábado, inclusive, o local recebeu um velório coletivo para 50 corpos e que contou com a presença de quase 20 mil pessoas.