A ginástica feminina brasileira segue com chances de obter mais medalhas nos Jogos Olímpicos de Tóquio. Nesta terça-feira (3), a partir das 5h50 (de Brasília), Flávia Saraiva disputará a final da trave.

No qualificatório, Flávia fez uma boa exibição, mas deu um susto ao sentir o tornozelo na apresentação no solo. Imediatamente, ela foi avaliada pela equipe médica e desistiu de competir no salto e nas assimétricas. Na trave, ela ficou com a oitava vaga, após alcançar a nota de 13.966.

Flavinha tentará seguir os passos de Rebeca Andrade, que conquistou a medalha de prata no individual geral e a de ouro no salto, sendo essas as primeiras conquistas olímpicas da ginástica feminina brasileira.

Presença de Simone

Afastada das últimas disputas para cuidar da saúde mental, Simone Biles estará presente na final da trave. A norte-americana entrou nas Olimpíadas como um dos grandes nomes do evento e favorita a diversos pódios, mas a pressão fez com que a ginasta desistisse das provas, após ter realizado fora dos padrões nos primeiros dias de disputa.

Biles conquistou quatro medalhas na Rio 2016. A primeira desistência ocorreu no meio da prova por equipes na terça-feira passada. Depois, a ginasta se manteve fora das disputas do individual geral, do solo e do salto.

Leia Mais:
De olho no pódio, Brasil enfrenta o México na semifinal do futebol masculino em Tóquio
Equipe brasileira de tênis de mesa se despede de Tóquio nas quartas
Vôlei: Brasil vence Quênia e pega o Comitê Russo nas quartas em Tóquio