O Audax corre o risco acabar. O grupo francês Casino, controlador do clube-empresa, anunciou oficialmente que pretende vendê-lo ou até mesmo encerrar as atividades. O Audax São Paulo acaba de garantir o acesso para disputar o Paulistão de 2014, enquanto o Audax Rio já disputou nesta temporada a divisão de elite do Campeonato Carioca.

Essa decisão contraria o empresário Abílio Diniz, que perdeu o controle do Grupo Pão de Açúcar para o Casino no ano passado. Ele tem uma relação pessoal com o projeto do Audax, iniciado há 10 anos com o cunho social de atender crianças carentes. Hoje reúne perto de 500 pessoas, direta ou indiretamente, e tem um custo anual de R$ 20 milhões.

Abílio Diniz divulgou comunicado em que lamenta a decisão "que descaracteriza os valores fundamentais do Grupo Pão de Açúcar como o incentivo aos esportes e à inclusão social". "O ciclo de evolução do projeto está concluído", informou o Casino, em nota oficial, citando o fato de que os dois times do Audax chegaram à divisão de elite.

A direção do Cassino reafirmou a sua especialização em varejo e distribuição, confirmando estar em busca de uma "solução" que possa dar continuidade aos times em São Paulo e no Rio. Não estaria descartado, inclusive, a desistência da participação do Audax na temporada 2014, o que poderia abrir vagas valiosas nos dois campeonatos.