O plantel do Cruzeiro para a disputa do Campeonato Mineiro continua no estágio de “montagem”. As incógnitas emperram o planejamento celeste, apesar de algumas situações estarem próximas de um desfecho – caso do zagueiro Dedé, bem perto de deixar a Toca. Ainda sem uma base definida para a estreia do Campeonato Mineiro, marcada para a próxima quarta-feira, contra o Boa Esporte, no Mineirão, a Raposa tem como alento a confirmação das permanências de Léo e Edílson. Fábio deve ser o próximo a oficializar o “Eu fico!” no clube, formando assim a trinca de lideranças da equipe para esta temporada de reconstrução.

Se nos últimos anos a braçadeira de capitão pertenceu a Henrique, com a ida do volante para o Fluminense ela provavelmente voltará às mãos do camisa 1. “Tive tantas oportunidades para sair e não seria agora, no pior momento do Cruzeiro, que eu iria. Sei bem que o ano de maior cobrança será o de 2020, e lutarei até o fim com vocês”, disse o arqueiro, atleta que mais vezes trajou o uniforme estrelado, com 871 partidas realizadas.

Na prática, porém, a função de líder em campo será repartida a cada um desses três experientes remanescentes, ávidos para a missão de disputar a Série B do Brasileiro pelos celestes e recolocar a agremiação na prateleira de cima. “Nosso foco maior é a Série B, temos que ser humildes para reconhecer isso. Este ano haverá mais meninos, e temos que nos adequar, colaborando com eles de todas as maneiras, com conversas e ajudando-os taticamente”, afirmou Edílson.

Para muitos torcedores, a permanência dessa trinca é fundamental a fim de se criar uma retaguarda sólida em 2020. “Claro que ter experiência é muito bom, mas quero ajudar em campo também, colaborar para o time voltar à Série A. Estou disposto a ajudar o Cruzeiro de qualquer forma”, ressaltou Edílson.

Edilson

O jovem Cacá também alimenta o desejo de continuar. Ou seja, do lateral-esquerdo para frente, tudo ainda é incerto, e o técnico Adilson Batista se desdobra para tentar aproveitar o potencial e o talento de atletas oriundos da base, além de buscar alternativas no mercado. Tudo em meio à pré-temporada, bastante prejudicada perante tantas incertezas.

Uma delas diz respeito a Ariel Cabral. Nessa quarta, o Cruzeiro divulgou que o volante voltou para a Argentina para resolver assuntos particulares por três dias. Na teoria, significa que ele retorna à Toca II neste sábado. Com contrato até o fim deste ano, o hermano resolverá definitivamente sua situação quando regressar.