América e Chapecoense são clubes fora da curva nesta Série B do Campeonato Brasileiro. Cada um tem 63 pontos, nove à frente do terceiro colocado e, restando seis rodadas para o término da competição, mostram serem os únicos em condições reais de brigar pelo título. Quase lado a lado na classificação – o Coelho aparece com ‘um focinho à frente’, por ter 18 vitórias, uma a mais que a Chape –, os dois alviverdes entram em campo neste sábado (9), valendo a liderança.

No caminho dos postulantes ao troféu de campeão estão dois times que brigam na parte de baixo da tabela de classificação. Enquanto os mineiros terão pela frente o Vitória, dono de 37 pontos, às 19h, no Independência, os catarinenses medirão forças com o Botafogo-SP, vice-lanterna, com 27, a partir das 21h, no Santa Cruz.

Chances

Segundo o site Probabilidades no Futebol, do departamento de matemática da Ufmg, o América possui cerca de 57% de chances de ser campeão, contra 43% da Chapecoense. No entanto, esses números podem mudar consideravelmente dependendo do que acontecer nos dois jogos deste sábado.

Um dos destaques do Coelho na Série B e vice-artilheiro do time na temporada 2020, com 13 gols, o atacante Ademir ressalta que o time mineiro vai forte para esta reta final, em busca do tricampeonato da Segunda Divisão (o clube foi campeão da competição em 1997 e 2017).

"Todo cuidado para não relaxar, não cair nas armadilhas do futebol, de estar confortável demais. É continuar se mobilizando. Todos os jogos no segundo turno são difíceis. Cada time está buscando seu objetivo, a disputa é muito difícil nesta reta final. Continuar mobilizado para vencer os jogos", comentou.

AMÉRICA X VITÓRIA
Motivo:
33ª rodada da Série B do Campeonato Brasileiro
Data: 9/1/2021 (sábado)
Horário: 19h
Estádio: Independência
Cidade: Belo Horizonte
Arbitragem: Alexandre Vargas Tavares de Jesus, auxiliado por Lilian da Silva Fernandes Bruno e Thiago Rosa de Oliveira, todos do Rio de Janeiro
Transmissão: SporTV e Premiere

AMÉRICA
Matheus Cavichioli; Daniel Borges, Messias, Anderson e Sávio; Zé Ricardo, Juninho e Alê; Ademir, Rodolfo e Felipe Augusto
Técnico: Lisca

VITÓRIA
César; Jonathan Bocão, João Victor, Wallace Reis e Rafael Carioca; Guilherme Rend, Fernando Neto, Matheus Frizzo e Thiago Lopes; Ewandro (Mateusinho) e Léo Ceará
Técnico: Rodrigo Chagas