Recheada de atletas representando os clubes mineiros, a seleção brasileira sub-21 de vôlei masculino vem fazendo ótima campanha no Campeonato Mundial da categoria, que está sendo realizado no Bahrein.

Após vencer a Polônia, atual campeã mundial da categoria na estreia, os brasileiros venceram na manhã desta sexta-feira (19) a equipe canadense, por 3 sets a 0, e garantiram a classificação para a próxima fase da competição. Neste sábado (20), os atletas comandados por Geovani Gávio enfrentarão a Itália, também invicta até o momento. Estará em jogo primeira colocação do grupo D.

Dos 12 atletas que compõem a seleção brasileira no Bahrein, seis defendem clubes de Minas Gerais. Os ponteiros Lucas Figueiredo e Marcus Vinícius Coelho, o levantador Gustavo Orlando e o central Edson Junio atuam pelo Minas, enquanto o também levantador e capitão da equipe Rhendrick Rosa e o oposto Welinton Oppenkoski pertencem ao Cruzeiro, mas disputarão a próxima edição da Superliga pelo América Vôlei.

Além dos atletas, o Minas também é representado por Nery Tambeiro. O treinador da equipe adulta do clube é o auxiliar de Geovani Gáveo na seleção sub-21.

Lucas Figueiredo, que vem sendo um dos ponteiros titulares da equipe, contou à reportagem do Hoje em Dia como é a sensação de representar o país no mundial da categoria.

“Estar representando nosso país em um campeonato mundial com a seleção é uma honra, uma coisa que não tenho palavras pra descrever. Ainda mais sendo comandado pelo técnico Giovane, que uma estrela do voleibol. É um prazer enorme pode fazer parte dessa história, onde muitos jogadores que são referência já passaram e deixaram sua marca. Isso que nosso time veio fazer, escrever uma história”, disse o ponteiro de 20 anos.

Sobre o desempenho do time até o momento, o atleta minastenista pontou o sistema defensivo como ponto forte da equipe, que, segundo ele, ainda deve evoluir em alguns detalhes.

“A equipe vem crescendo dentro da competição, acho que temos que melhorar alguns mínimos detalhes, que são muito importantes para essa segunda fase que estamos prestes a entrar. O ponto forte da equipe é o sistema defensivo. Saque, bloqueio e defesa, mas sem deixar de lado a agressividade dos atacantes temos”, destacou Lucas, que vai integrar a equipe principal do Minas na próxima temporada.

Segundo maior campeão da história do torneio, o Brasil vai em busca de seu 5º título. A última medalha de ouro brasileira no mundial sub-21 foi há dez nos, em 2009, quando a seleção derrotou Cuba, da estrela León por 3 sets a 2. Integravam aquele time alguns nomes já consagrados, como Maurício Borges, Isac e Thales, que integraram o selecionado brasileiro na Liga das Nações.

 

*Hugo Lobão sob supervisão de Alexandre Simões