O presidente da Comissão de Arbitragem da Federação Mineira de Futebol (FMF), Juliano Lopes Lobato, referendou as decisões tomadas pela arbitragem do clássico entre Atlético x América, disputado no último sábado (22), no Mineirão, válido pelo jogo de volta da final do Campeonato Mineiro.

O duelo, que terminou empatado em 0 a 0 – placar que deu o título ao Alvinegro, dono da melhor campanha da fase de classificação – foi marcado por dois lances polêmicos no segundo tempo. (Confira as imagens abaixo)

No primeiro caso, o árbitro de campo, Felipe Fernandes de Lima marcou pênalti do zagueiro atleticano Igor Rabello no atacante Felipe Azevedo. O VAR, comandado por Emerson de Almeida Carvalho, referendou a decisão. Na cobrança, o atacante Rodolfo acertou o travessão do gol defendido por Everson.

“O defensor do Atlético faz uma carga nas costas do jogador do América, usando força desproporcional. Com essa carga, o atleta (do América) cai no chão, e a penalidade é marcada. Nesse caso, a cabine do VAR foi checando a imagem. O árbitro marcou a penalidade com a sua intuição, bem colocado no jogo, no lance, de frente para o lance. Enquanto isso, a cabine do VAR estava checando a imagem. A imagem foi checada e mostrou que o árbitro acertou em marcar essa penalidade”, disse Juliano Lopes Lobato, em áudio divulgado pela FMF, na tarde desta segunda.

Leia mais

Após ouvir áudio na FMF, Salum afirma que VAR impediu árbitro de campo de revisar lance polêmico
Editor de Esportes do HD analisa a última semana da fase de grupos da Copa Libertadores
Vargas é convocado pelo Chile e aumenta lista de desfalques do Atlético

Polêmica nos acréscimos

Nos acréscimos da partida, em um lance envolvendo o zagueiro americano Eduardo Bauermann, e novamente, Igor Rabello, a equipe alviverde alegou que Rabello empurrou Bauermann com o braço quando o jogador do América iria cabecear uma bola de frente para o gol.

Apesar das reclamações em campo, Felipe Fernandes de Lima, após consulta ao VAR, não marcou a infração.

Sobre o lance, o presidente da comissão de arbitragem da FMF novamente afirmou que a arbitragem acertou novamente.

“O jogador do América sobe para cabecear a bola, já está no seu plano de voo, e é tocado pelo número 11 (Alê) do próprio América. Não há qualquer tipo de falta do jogador do Atlético no atleta do América. Enquanto isso, a imagem estava sendo checada pela cabe do VAR, que chegou a conclusão de campo, que realmente não houve falta”.