Quando chegou ao Cruzeiro, no dia 13 de agosto deste ano, Rogério Ceni prometeu que o Cruzeiro voltaria a fazer valer o “DNA” do clube. Cerca de um mês e meio depois daquela euforia e a alta expectativa, o treinador deu adeus à Toca da Raposa II, sem conseguir devolver ao time o DNA vencedor.

Em seu discurso, no dia de sua apresentação, o comandante dava garantias de que a equipe estrelada voltaria a ser rápida e agressiva em termos ofensivos. Além disso, estava esperançoso de que o Cruzeiro se afastaria da zona de rebaixamento e entraria forte na disputa por uma vaga na final da Copa do Brasil.

Nada disso aconteceu (confira abaixo). Mas a culpa não era apenas de Ceni, obviamente. O desempenho ruim de seus atletas e os desentendimentos com o treinador influenciaram diretamente para que as promessas de Ceni não se concretizassem. Além disso, a alta cúpula celeste permaneceu quieta diante dos problemas e optou pela alternativa mais “fácil”; demitir Ceni.

Confira abaixo alguns trechos da primeira coletiva de Ceni e o que realmente aconteceu

Ceni: “O mais importante é que eles (jogadores) se sintam bem e felizes”
Na prática: Os jogadores até elogiaram Ceni após o triunfo de estreia, sobre o Santos, por 2 a 0, mas depois passaram a criticar as escolhas do treinador. Thiago Neves e Dedé foram os maiores críticos do técnico.

Ceni: “Vejo um ambiente extremamente saudável”
Na prática: Ceni encontrou um grupo “rachado” e não conseguiu unir o elenco. Ironicamente, o plantel só se mostrou unido após o empate com o Ceará, quando novamente contestaram as escolhas do comandante.

Ceni: “Contra o Inter será uma partida difícil, mas (vencer) é um resultado possível”
Na prática: O Cruzeiro foi goleado por 3 a 0, no Beira-Rio, e deu adeus à Copa do Brasil. Depois do jogo, Neves vociferou contra Ceni.

Ceni: “A ideia, sim, é de fazer um time cada vez mais rápido. É o modo que eu vejo futebol”
Na prática: O Cruzeiro não se tornou um time tão rápido assim e mostrou um desempenho ruim nas finalizações. Em oito partidas, os jogadores só marcaram seis gols.

Ceni: "É tentar preparar um 2020 melhor, tentando achar alternativas para o próximo ano"
Na prática: Com apenas 33,3% de aproveitamento, o técnico foi demitido.

Ceni: “Se os jogadores quiserem comprar a ideia, capacidade eles têm”
Na prática: Os jogadores não compraram a ideia. E a capacidade de vários passou a ser contestada.