Cruzeiro e Atlético fazem neste domingo, às 16h, no Mineirão, um clássico de interesses diferentes para este momento de 2018. Por mais que a máxima "clássico é clássico" providencie um tempero especial para qualquer confronto entre as duas equipes, o momento que Cruzeiro e Atlético vivem é determinante para o sabor do jogo válido pela pela 25ª rodada do Campeonato Brasileiro.

Os lugares diferentes que as equipes ocupam, antes de pisar no gramado logo mais, não diz respeito apenas à classificação na tabela - a equipe celeste está na sétima colocação, com 33 pontos; já o time alvinegro, com 41 pontos, ocupa a quinta posição. A questão determinante para o jogo é o conflito de interesses. 

Apesar da campanha irregular, bastante criticada, no Brasileirão, o Cruzeiro entra em campo pressionado por outros compromissos: as Copas do Brasil e Libertadores. O time realizou na última quarta-feira (12) um vitorioso mas desgastante confronto contra o Palmeiras, em São Paulo, pela copa nacional; e se prepara para enfrentar o temido Boca Juniors, nesta quarta (19) pelas quartas de final do torneio continental. 

Esta agenda atribulada condiciona a escalação do time no jogo de hoje. Durante a semana, o técnico Mano Menezes sinalizou que entrará em campo com o time reserva, poupando jogadores para os próximos compromissos. 

Mas a equipe só será revelada uma hora antes do apito inicial. Uma ausência já é certa: o meia uruguaio Arrascaeta está no departamento médico, em tratamento intensivo para se recuperar de uma lesão ocorrida no confronto contra os paulistas. 

Por outro lado, a torcida celeste poderá ver a volta do atacante Sassá, fora do time desde julho, tratando de contusão. Menezes indicou que deve deixá-lo no banco de reservas, como opção.

Foco

No caso do Atlético, o foco é total no Campeonato Brasileiro. O time entra na 25ª rodada sonhando com o G-4, mas saberá se isso será possível na noite de amanhã, pois depende de uma derrota do Flamengo para o Vasco no clássico carioca que será disputado às 19h, no Estádio Mané Garrincha, em Brasília.

O técnico Thiago Larghi encerrou os preparativos para o clássico na manhã de ontem e deixou a equipe praticamente escalada. A única dúvida é no meio de campo: Matheus Galdezani disputa posição com o experiente Elias, que entrou no decorrer do jogo contra o Atlético-PR, na última rodada, e fez grande apresentação, inclusive marcando um dos gols da vitória por 3 a 1.

Victor está confirmado no gol e a zaga terá mais uma vez a mescla de juventude e experiência, com Maidana e Leonardo Silva, que faz seu 32º clássico contra a Raposa. 

Depois de cumprir suspensãio, Emerson volta à lateral direita para a saída de Patrick e Fabio Santos atua no lado esquerdo. No meio de campo, ao lado de Galdezani ou Elias, Adilson cuida da marcação. O veloz e habilidoso Chará, também de volta depois de servir à Seleção da Colômbia, Cazares, Luan e Ricardo Oliveira completam a formação.