O apito final do árbitro Wagner do Nascimento Magalhães terminou uma partida de futebol, quando iniciou-se uma enorme confusão no Mineirão após empate em 1 a 1 entre Cruzeiro e Palmeiras, resultado que classificou o clube celeste à final da Copa do Brasil.

Agressões, socos, chutes que geraram quatro expulsões, três do lado palmeirense e uma do lado azul. Diogo Barbosa, Thiago Santos e Mayke, e Sassá, levaram o cartão vermelho após o fim do duelo.

A briga pós-jogo começou ainda com as últimas voltas do relógio na segunda etapa. Felipe Melo e Fábio se chocaram dentro da área, o goleiro da Raposa levou a pior, mas depois até pediram desculpas uma para o outro. Apesar disso, houve quem tivesse levado "mais a sério" o início de discussão após o choque entre volante e arqueiro. Daí se originou toda a bagunça.

Diogo Barbosa teria atingido o argentino Lucas Romero. O volante reagiu e virou alvo de palmeireses. Thiago Santos, do Alviverde, que estava no banco, participou do conflito e acabou levando o vermelho.

Mayke, ex-jogador do Cruzeiro, acertou socos no ex-companheiro Léo. Nessa hora o atacante Sassá, como um lutador de boxe, acertou um soco reto no rosto do lateral.

O árbitro Wagner do Nascimento Magalhães (FIFA/RJ) aplicou cartão vermelho nos quatro envolvidos na briga, após Anderson Daronco, o árbitro de vídeo, auxiliá-lo após a confusão.