cruzeiro, conselho deliberativo
 

Dos 30 conselheiros expulsos do Cruzeiro por receberem remuneração durante a gestão Wagner Pires de Sá apenas três, pelo menos por enquanto, poderão votar na eleição que definirá os novos presidentes do clube e do Conselho Deliberativo. É que o desembargador Luiz Carlos Gomes da Mata, do Tribunal de Justiça de Minas Gerais, acatou nesta terça-feira (12) o recurso de Carlos Monteiro Alberto de Oliveira, Roberto Márcio de Freitas Rocha e Luiz Claudio de Freitas Rocha, o "Xedinho", que ficou conhecido por ter o seu nome divulgado em reportagem do programa da TV Globo, Fantástico, no ano passado.

Com isso, os três conselheiros, em caráter liminar, agora tem o direito a voto na eleição do dia 21 de maio.

"Defiro o pedido de antecipação da tutela recursal e reformo a decisão agravada, em parte, deferindo a tutela de urgência para suspender, até o julgamento deste recurso pelo Colegiado, os efeitos das decisões proferidas pelo Presidente do Conselho Deliberativo do Cruzeiro Esporte Clube, que declarou a perda dos mandatos, para os quais os agravantes foram eleitos e estavam em exercício, de forma que lhes seja garantido o processamento e julgamento pelo órgão competente, que é o Conselho Deliberativo da associação esportiva agravada". diz parte da decisão.

O desembargador, ainda, pede que a decisão da Justiça seja informada imediatamente ao presidente em exercício do Cruzeiro, sob possibilidade de multa de até R$ 300 mil se não cumprida a determinação judicial.

"O Sr. Presidente em exercício do ora agravado deve ser intimado a dar imediato cumprimento a esta decisão, sob pena de multa diária de R$10.000,00 (dez mil reais), limitada a R$300.000,00 (trezentos mil reais)", diz o texto de outra parte da decisão do desembargador Luiz Carlos Gomes da Mata. 

Ao Hoje em Dia, o presidente em exercício do Cruzeiro, José Dalai Rocha, disse que "medidas judiciais são para serem cumpridas".

"Se a Justiça decidiu, o Cruzeiro vai cumprir. Mas ainda não fui comunicado de nada, não recebi documento algum. Certamente o departamento jurídico do clube irá analisar todo o conteúdo dessa decisão de segunda instância, veremos se temos prazo para recorrer, se vale a pena esse recurso. Tudo será analisado", garantiu. 

Expulsos

No dia 17 de abril o Hoje em Dia noticiou em primeira mão sobre a expulsão dos 30 conselheiros do Conselho Deliberativo do Cruzeiro. Na semana passada, três desses, os mesmos que conseguiram o direito de voto na decisão em segunda instância, haviam tido seu pedido negado pela 29ª Vara Cível de Belo Horizonte. 

Essa decisão da liberação para Xedinho e os outros dois conselheiros pode abrir precedente e garantir aos outros 27 conselheiros expulsos o direito, também, ao voto no dia 21 de maio.