O Conselho Deliberativo do Cruzeiro aprovou, no início da noite desta terça-feira (3), o projeto que permite o clube estrelado a se transformar em uma Sociedade Anônima do Futebol (SAF) e buscar investidores para tentar sanar a gravíssima situação financeira que a instituição atravessa. 

De acordo com a assessoria de comunicação da Raposa, 217 conselheiros votaram a favor da proposta, seis contra e houve um voto nulo. O encontro foi realizado de forma híbrida, com votação presencial e on-line.

O próximo passo agora é aguardar a sanção do projeto clube-empresa (5.516/2019) pelo presidente Jair Bolsonaro (sem partido). Em 14 de julho, a iniciativa foi aprovada pelo Congresso Nacional.

A anuência da proposta pelo Conselho Deliberativo era o principal pilar para que o Cruzeiro se torne um clube-empresa, o que, segundo a atual diretoria, é a principal solução para a grave crise financeira que a Raposa atravessa.

Com um cenário de quase R$ 900 milhões em dívidas, sendo parte delas com execução no curto prazo, a cúpula celeste vê na possibilidade de abertura de capital, que seria possível justamente com a mudança para o modelo de clube-empresa, a principal solução para captar investimentos para sanar esses débitos.

Leia Mais:
Alvimar Perrella faz apelo aos conselheiros pela aprovação do projeto SAF: ‘Única esperança'
Após ter o retorno solicitado, goleiro Lucas França tem contrato com o Cruzeiro reativado no BID
Vivendo presente desesperador, Cruzeiro aposta no passado para tentar salvar seu futuro