Andrea Pirlo e Sebastian Giovinco pagaram o preço pela opção de jogar na Major League Soccer, a principal liga de futebol dos Estados Unidos, de acordo com o técnico da seleção da Itália, Antonio Conte, que deixou a dupla fora da sua lista preliminar de 30 convocados para a Eurocopa.

Giovinco vem tendo desempenho impressionante desde que se transferiu para o Toronto FC, em fevereiro de 2015. O ex-jogador da Juventus marcou 22 gols e deu 16 assistências em sua primeira temporada. Na atual, o atacante acumula oito gols e cinco assistências em 12 jogos.

Pirlo chegou ao New York City FC em julho passado e não é chamado para a seleção desde setembro. O veterano meio-campista foi um dos pilares da seleção da Itália desde a sua estreia em 2002, disputando mais de cem partidas e a ajudando a vencer a Copa do Mundo de 2006.

"Eu falei com Andrea", disse Conte nesta terça-feira. "Eu mandei pessoas para a América por sete dias para avaliá-lo e Sebastian. É claro que se você faz tais opções no futebol, então no final você pode pagar as consequências. Tivemos pessoas na Europa e no exterior para ter ideias muito claras".

Conte vai revelar a lista final de 23 convocados para a Eurocopa em 31 de maio. "Tenho muito poucas dúvidas, na minha cabeça eu já tenho um plano preciso", disse. "Há dois, no máximo três, lugares para decidir, mas as minhas ideias são muito claras e estou bastante calmo nessa frente".

A preparação da Itália para a Eurocopa vem sendo prejudicada por lesões de alguns dos seus principais jogadores, como Claudio Marchisio e Marco Verratti, que estão fora do torneio.

Além disso, os meio-campistas Riccardo Montolivo e Thiago Motta foram chamados, mas estão lesionados e serão avaliados pelo departamento médico da seleção italiana, correndo o risco de serem cortados.

"Eu tentei trazer o melhor", disse Conte. "As escolhas foram feitas com base no que eu acredito e o que temos feito nos últimos anos. Vamos trabalhar esta semana e avaliar as condições de Montolivo e Motta, é um revés que eles não estejam disponíveis. Temos de estar preparados para toda eventualidade, as lesões de Verratti e Marchisio mudaram algumas coisas, mas agora há outras".

A Itália está em um dos grupos mais difíceis da Eurocopa. A equipe estreia contra a Bélgica em 13 de junho, antes de jogar com a Suécia quatro dias depois. A Irlanda será a última adversária na chave, em 22 de junho. Antes disso, a seleção italiana joga amistosos contra a Escócia no próximo domingo. Depois vai encarar a Finlândia em 6 de junho.