Chegou a hora de o Corinthians começar a pagar a conta de R$ 1,1 bilhão do Itaquerão. A partir deste mês vencem as parcelas mensais de R$ 5 milhões referentes ao financiamento feito com o BNDES durante as obras. Atualmente o fundo responsável por gerir toda a arrecadação de bilheteria e comercialização de produtos do estádio tem em caixa R$ 50 milhões. Ou seja, dinheiro suficiente para pagar apenas dez prestações.

Por isso, será fundamental vender nos próximos meses os "naming rights" e os CIDs (Certificado de Incentivo ao Desenvolvimento) emitidos pela prefeitura, caso contrário a conta não vai fechar. A partir de dezembro de 2016 será a vez de começar a quitar o empréstimo feito com a Caixa Econômica Federal. Serão mais R$ 5 milhões por mês por 12 anos.

"O fundo tem em caixa por volta de R$ 50 milhões desde que começou a arrecadar com a bilheteria dos jogos. Em cima desse montante ainda entrará o dinheiro da venda de camarotes, cadeiras e espaços da arena. Mas é preciso também comercializar os naming rights e os CIDs", disse à reportagem o diretor financeiro do Corinthians, Emerson Piovezan. O clube espera arrecadar R$ 400 milhões com "naming rights" e mais R$ 420 milhões com os CIDs.