O Cruzeiro decidiu que será o próprio gestor do projeto da equipe feminina que vai montar para cumprir requisito exigido pela Conmebol, a partir de 2019, para que o clube dispute o maior torneio do continente sul-americano: A Copa Libertadores da América.

A informação foi divulgada nesta quinta-feira (14) pelo próprio Cruzeiro, e o responsável pela montagem da equipe feminina é o agora gerente de futebol Marcone Barbosa.

Havia por parte do Cruzeiro a intenção de terceirizar o projeto do time feminino. Inclusive os próprios dirigentes assumiam essa possibilidade em entrevistas e conversas com jornalistas e torcedores. Mas houve mudança de planos.

Com isso, o Cruzeiro terá a concepção da equipe feminina antes do dia 27 de março, data de início do Brasileiro A2, uma espécie de segunda divisão do futebol na modalidade.

Detalhes sobre a montagem da equipe, nome do treinador e atletas serão divulgados pelo Cruzeiro em breve.

Terceirização que não deu certo

Recentemente, uma parceria terceirizada do Cruzeiro foi um fracasso: o time de futebol americano “Cruzeiro Imperadores. O clube sofreu sanções do Tribunal de Justiça Desportiva da modalidade por inscrição e escalação irregular de jogadores, e por tantas falhas de gestão, acabou tendo o acordo de parceria encerrado.

O projeto anterior, que começou com a diretoria de Gilvan de Pinho Tavares, uma parceria entre a Raposa, o time BH Eagles e uma empresa de transporte mineira, teve o contrato encerrado no fim de 2017.

O BH Eagles, então, acabou migrando para o Atlético, mudando a alcunha Cruzeiro Futebol Americano para Galo Futebol Americano.