De grandes expectativas no início do ano a frustações e derrocadas recentes. O atual cenário desenhado por Cruzeiro e Grêmio não é o mesmo que imaginavam os dois clubes, tidos como dois dos favoritos em todos os torneios da temporada. É sob a veste de “eliminados na Copa do Brasil” que as duas equipes se enfrentam neste domingo (8), às 11h, no Independência, pela 18ª rodada do Campeonato Brasileiro.

O próximo confronto poderia ser uma prévia do que se cogitava ser a “final das finais” da competição mata-mata. Se tivessem avançado à decisão da Copa, a ser realizada nos dias 11 e 18, o Cruzeiro buscaria o hepta, enquanto os gaúchos, donos de cinco canecos, intentariam igualar o número de títulos do time mineiro. Mas tudo isso ficou no papel. No campo de jogo, ambos foram batidos por Internacional e Athletico-PR, respectivamente.

Por isso, o próximo encontro entre a Raposa e o Tricolor passou a ser considerado o “jogo das lamentações” e, ao mesmo tempo, um duelo crucial para as pretensões deles na Série A. E ambos vão com força máxima para esta disputa.

Quatro pontos separam os dois times. O Grêmio, 11º colocado, com 22 pontos, tenta se aproximar do G-6 – o arquirrival Internacional é o sexto, com cinco pontos a mais –, e os celestes, em 16º, com 18, querem se afastar ainda mais do Z-4. O clube que abre a zona de rebaixamento é a Chapecoense, que soma 14 pontos.

Rogério Ceni defende uma invencibilidade como treinador cruzeirense no Brasileiro. São duas vitórias e um empate.