O Cruzeiro informou, nesta segunda-feira (30), que chegou a um acordo para o abatimento de parte da dívida que tem com a Minas Arena, homologado na 32ª Vara Cível de Belo Horizonte. Em suma, ficou acertado que, os mais de 32 milhões que a Raposa devia à administradora do Mineirão diminuíram para pouco mais de 11 milhões.

Em uma novela que vem desde 2013, o Cruzeiro teria que pagar R$ 32.017.568,48 à Minas Arena, após decisão da Justiça. Porém, ficou estabelecido, segundo o clube, um abatimento do montante, que havia sido reduzido para R$ 20.086.857,49.

Deste valor, R$ 8.885.300,55, que estavam depositados pelo Cruzeiro em juízo, serão depositados à Minas Arena. O que significa que o débito passar a ser de R$ 11.201.556,94.

Ficou estabelecido ainda que a Raposa terá um prazo de dez anos para quitar o valor, em 96 parcelas, com o primeiro vencimento programado para julho de 2022.

“Aos poucos, vamos tentando recolocar o Cruzeiro nos trilhos. Este é mais um grande acordo celebrado em nossa gestão, que tem trabalhado forte para resolver os problemas do Clube. Depois de conseguirmos uma grande economia na ordem de mais de R$ 200 milhões em ações importantes que envolviam a Procuradoria-Geral da Fazenda Nacional e o atleta Fred, agora estamos satisfeitos com o acordo feito com a Minas Arena, que contou com um grande trabalho do advogado Felipe Cândido e do nosso Departamento Jurídico", afirmou o presidente celeste, Sérgio Santos Rodrigues.

"Todos sabem que o Mineirão é a casa do Cruzeiro e não estava legal convivermos com essas pendências. Nosso relacionamento com a Minas Arena, que já é muito bom, agora dá um passo importante para que, em um futuro próximo, possamos desenvolver ótimos projetos para o Clube e para a nossa torcida”, completou.