Matematicamente, o Cruzeiro não tem chance alguma de voltar para a elite do futebol nacional nesta edição. A frase poderia ser taxada de "absurda", por se tratar de um gigante, mesmo no pior momento de sua história centenária. No entanto, por toda a crise vivida pela Raposa e pela falta de competência dentro e fora de campo para tentar se reerguer na temporada 2020, não chega a assustar. O problema é que a derrota por 1 a 0 para o Juventude, no Alfredo Jaconi, com gol de Rafael Grampola, neste sábado (16), escancara uma possibilidade ainda mais destrutiva aos celestes.

O futebol insosso praticado pelo time mineiro em grande parte da Série B, os seis pontos que o clube perdeu, após punição da Fifa, os salários atrasados (quase três, além do 13º), a dívida de mais de R$ 1 bilhão e a desorganização em várias outras frentes formam um mosaico de horrores aos azuis. Restando ainda três rodadas para o fim do torneio, o fantasma da Terceira Divisão, tão temido por Felipão, ainda ronda a Toca.

O Cruzeiro empacou com 44 pontos, seis a mais que o Vitória, que abre a zona do rebaixamento, e cinco a mais que o Náutico, 16º colocado. Essas duas equipes ainda vão jogar na rodada, neste domingo (17), contra Chapecoense e Ponte Preta, respectivamente. Se vencerem, complicam ainda mais a vida da Raposa.

Se depois do revés por 1 a 0 para o Oeste, na última quarta (13), o atacante Rafael Sóbis disse que as pessoas não sabiam "nem 10% do que estava acontecendo", talvez agora seja a hora de ele abrir o jogo, como prometeu.

Cruzeiro

JUVENTUDE 1 X 0 CRUZEIRO
Motivo:
35ª rodada do Campeonato Brasileiro da Série B
Data: 16/1/2021 (sábado)
Estádio: Alfredo Jaconi
Cidade: Caxias do Sul (RS)
Arbitragem: Paulo Roberto Alves Júnior, auxiliado por Rafael Trombeta e Luciano Roggenbaum, todos paranaenses
Cartões amarelos: Eltinho, Emerson Silva e Neto (Juventude); Rafael Sóbis e Airton (Cruzeiro)
Gol: Rafael Grampola aos 21 minutos do primeiro tempo

JUVENTUDE
Marcelo Carné; Igor, Wellington (Augusto), Emerson Silva e Eltinho; Gabriel Bispo, Gustavo Bochecha e Renato Cajá (Neto); Rogério (Roberto), Rafael Grampola (Everton) e Capixaba (Matheuzinho)
Técnico: Pintado

CRUZEIRO
Fábio; Cáceres, Manoel, Ramon e Matheus Pereira (Rafael Luiz); Adriano, Machado (Jadson) e Giovanni (Welinton); William Pottker, Rafael Sóbis e Airton (Marcelo Moreno)
Técnico: Felipão