A briga contra o rebaixamento estava envolta a um clima de revanchismo no Mineirão, graças ao reencontro entre Cruzeiro e Rogério Ceni, que, há um mês, deixava a Toca de forma conturbada. Uma pimenta bastante ardida ascrescentada ao caldeirão de emoções do Gigante da Pampulha, na noite deste sábado (26), em partida válida pela 28ª rodada do Brasileirão.

A pressão exercida ao longo da partida, convertida no gol de Orejuela, deu a falsa impressão de que a Raposa sairia de campo vitoriosa e fora da zona da degola. Mas a 'Lei do Ex' assinada por Wellington Paulista estragaram a festa azul. O empate em 1 a 1 mantém os mineiros no Z-4.

O Cruzeiro perdeu a chance de obter pela primeira vez no campeonato três triunfos consecutivos, depois de superar São Paulo e Corinthians. Com 29 pontos, o time segue estacionado no 17º posto da classificação. Além disso, a partida evidenciou que a torcida perdeu a paciência com atletas como Egídio e David, bastante vaiados, principalmente o lateral-esquerdo.

Cruzeiro

O próximo embate da Raposa será nesta quinta-feira (31), contra o Botafogo, no Engenhão.

Primeiro tempo

Do banco de reservas do Fortaleza, Rogério Ceni esperneava, se desesperava, levava as mãos à cabeça... O motivo para tanta aflição? O fato de o Cruzeiro ter feito um primeiro tempo muito superior à sua equipe. Para sorte do treinador, os celestes não traduziram o amplo domínio do primeiro tempo em gol.

E olha que não faltaram chances claras para a Raposa abrir o placar. A melhor delas, talvez, tenha sido a de Thiago Neves, que, sem marcação, cabeceou em cima de Felipe Alves.

Se os azuis falharam em seu setor ofensivo, pelo menos não sofreram defensivamente. Os contra-ataques do Leão não surtiam efeito diante do bloqueio imposto pelos celestes, que adiantavam bem as linhas de marcação e neutralizavam o adversário com certa facilidade.

Cruzeiro

Segunda etapa

Com Marquinhos Gabriel no lugar de Jadson, logo na saída do intervalo, o Cruzeiro ganhou mais velocidade no ataque. À medida que o tempo ia passando, a torcida presente no Mineirão ficava mais e mais apreensiva. Não à toa. Os cruzeirenses não cansavam de desperdiçar oportunidades. Teve até bola na trave, em tentativa de Marquinhos Gabriel.

O gol de Orejuela resultou à torcida uma alegria proporcional à decepção que o tento de Wellington Paulista culminou: 1 a 1. No fim, vaias da torcida cruzeirense, que ainda teve que aguentar os torcedores do Fortaleza cantando o nome de Rogério Ceni.

CRUZEIRO 1 X 1 FORTALEZA
Motivo: 28ª rodada do Campeonato Brasileiro
Local: Mineirão
Arbitragem: Raphael Claus, auxiliado por Emerson Augusto de Carvalho e Neuza Inês Back, todos paulistas
VAR: José Cláudio Rocha Filho
Cartões amarelos: Jadson, Cacá e Robinho (Cruzeiro); Felipe (Fortaleza)
Gols: Orejuela aos 34 minutos e Wellington Paulista aos 37 minutos do segundo tempo

CRUZEIRO
Fábio; Orejuela, Cacá, Fabrício Bruno e Egídio; Henrique e Jadson (Marquinhos Gabriel); Robinho (Sassá), Thiago Neves e David (Ezequiel); Fred
Técnico: Abel Braga

FORTALEZA
Felipe Alves; Gabriel Dias, Quintero, Paulão e Carlinhos; Felipe e Juninho; Romarinho (Felipe Pires), Andre Luís (Kieza), Oswaldo (Marlon) e Wellington Paulista
Técnico: Rogério Ceni