O Cruzeiro entrou em campo na noite deste domingo e, mesmo jogando “em casa”, perdeu para a Chapecoense por 2 a 1, no estádio Independência, em jogo da sexta rodada do Campeonato Brasileiro. Mas os gols de Rildo e DiegoTorres a favor do time catarinense, e Thiago Neves, para a Raposa, não foram capazes de trazer para si todo o protagonismo do noticiário sobre o tropeço estrelado.

O resultado do jogo da Raposa com a Chape dividiu atenções com o surpreendente anúncio de reportagem tão falada pela TV Globo e que o programa Fantástico prometeu exibir ainda neste domingo. De acordo com informações prévias da emissora, o conteúdo da matéria traz informações sobre supostas irregularidades contratuais no clube e uma dívida que beira meio bilhão de Reais.

Se dentro das quatro linhas o Cruzeiro ainda busca se encontrar no Campeonato Brasileiro, já que se encontra abaixo da décima colocação na classificação, fora de campo a diretoria tenta se explicar de algo que, enquanto a bola rolava, ainda nem havia sido veiculado pela TV Globo. No caso, a reportagem do programa Fantástico.

“Primeiramente, lamento que a última eleição presidencial ainda não tenha acabado para alguns indivíduos. Adversários derrotados no pleito têm insistido, nos bastidores, em tentar tumultuar o ambiente do Cruzeiro (...)  Nossa gestão assumiu o Clube de forma oficial no início do ano de 2018 com a maior e mais absurda e delicada dívida de sua história. No entanto, a nossa diretoria não tem medido esforços e já vem exercendo uma política de contenção de gastos, e tem trabalhado em um grande projeto de planejamento para tentar equacionar as dívidas do Cruzeiro”, diz parte da nota publicada em primeira pessoa pelo presidente Wagner Pires de Sá.

Se a reportagem do Fantástico investigou os bastidores celestes, caberá ao técnico Mano Menezes investigar o motivo de sua equipe não conseguir bom rendimento desde a derrota para o Emelec, na última rodada da fase de grupos da Copa Libertadores.

De lá para cá a Raposa perdeu dois jogos (Fluminense e Internacional) pelo Brasileirão e empatou um (Fluminense pela Copa do Brasil).

A derrota no Independência escancarou a insatisfação da torcida com alguns jogadores. Egídio foi vaiado na reta final do segundo tempo e Fred também ouviu reclamações relativas ao seu nome. O técnico Mano Menezes foi criticado e chamado de “burro” ao tirar Marquinhos Gabriel e colocar Lucas Silva, e gritos de “time pipoqueiro” também foram escutados pouco antes do apito final.

Agora, para tentar superar o momento ruim, o Cruzeiro visita o São Paulo, no domingo, às 16h, no estádio do Morumbi, em São Paulo. Adversário complicado, já que o retrospecto celeste diante do Tricolor Paulista é bem ruim em jogos do Campeonato Brasileiro.