O Cruzeiro divulgou, na manhã desta terça-feira (19), o balanço financeiro do clube correspondente ao primeiro semestre de 2021. Segundo o documento, o déficit no período foi de R$ 12.488.000,00. 

O balancete revela uma arrecadação de R$19 milhões em vendas de atletas, o que representa um aumento de 47% em relação ao mesmo intervalo em 2020.

As negociações citadas na demonstração contábil são a do zagueiro Cacá, com o Tokushima Vortis, do Japão, e do volante Jadsom Silva, para o Red Bull Bragantino.

A diretoria estrelada também publicou um crescimento em relação aos ganhos com patrocínios, embolsando R$ 17 milhões, valor foi 21% maior ao aferido no primeiro semestre do ano passado.

Em relação aos custos, a prestação de contas mostra uma redução de 9% em relação as despesas com o departamento de futebol, fechando em R$ 49 milhões.

Já em relação à parte administrativa da instituição, a Raposa afirma que gastou 28% a menos em comparação com o intervalo de janeiro a junho de 2020.

Sobre a verba utilizada para empréstimos e contratações de atletas chegou a R$ 3,7 milhões, apresentando redução de 27% se confrontarmos com os primeiros seis meses da temporada passada.

Custos

Em relação aos principais custos divulgado pela cúpula celeste está a com o futebol de base.

Segundo o balancete, a Raposa teve um aumento de 43% nas despesas de pessoal no setor, em relação ao mesmo período do ano passado, desembolsando ao todo R$ 4,5 milhões.

Já a quantia usada para saúde, alimentação e materiais esportivos para os atletas da base foi 500% maior do que a do primeiro semestre do ano passado, alcançando o montante de R$ 1,3 milhão.

Salários atrasados

Além do déficit na primeira metade do ano, o Cruzeiro convive com atrasos salariais que atualmente chegam a um montante de cerca de R$ 9 milhões.

Vale lembrar que esses débitos atingem não apenas os jogadores do time principal, mas também funcionários de outros setores do clube. 

Diante desse cenário, em protesto aos recorrentes problemas no pagamento dos vencimentos, inclusive, fizeram com que o elenco da Raposa ficasse em greve por três dias na semana passada. 

Com a promessa da diretoria de que soluções para a situação seriam encontradas, o plantel celeste retornou às atividades no último domingo (17).

Desde a última sexta (15), a cúpula celeste, especialmente na figura do presidente Sérgio Santos Rodrigues, vem se reunindo com empresários e patrocinadores em busca de recursos para o pagamento desses ordenados atrasados.

Entretanto, até o momento, a situação segue inalterada e a insatisfação permanece entre os colaboradores do Cruzeiro. 

Leia mais

Rômulo comenta sobre greve no Cruzeiro, crê em solução, mas não descarta nova paralisação
Em tira-teima do confronto, Cruzeiro tenta quebrar jejum de mais de 10 anos sem vencer o Avaí
Utopia ou possibilidade: o que acontece se o Cruzeiro vencer seus oito últimos jogos na Série B?