A torcida do Cruzeiro tem um discurso pronto para protestar contra o presidente Gilvan de Pinho Tavares: "cadê o meia?". A diretoria celeste irá trazê-lo, mas não se trata de um camisa 10. Alejandro Ariel Cabral, argentino de 27 anos e ex-jogador do Vélez Sarsfield, estará em Belo Horizonte nesta terça-feira (4) para exames médicos e assinatura de contrato.
 
Como a janela de transferências para trazer atletas do exterior se fechou no Brasil no dia 21 de julho, a cúpula celeste foi atrás de um novo nome sem vínculo empregatício, que é o caso de Cabral.
 
O diretor de futebol da Raposa, Isaias Tinoco, preferiu não dar maiores detalhes do reforço, até porque ainda falta a confirmação oficial do Cruzeiro. No entanto, revelou que o jogador estava nos planos antes mesmo da chegada do diretor à Toca da Raposa II.
 
"Já vinhamos conversando com o jogador. Se há preocupação é sobre se ele poderá jogar, digo que sim, pois ele estava sem contrato. Não posso dar mais detalhes para não atrapalhar a negociação. Mas ele fará exames médicos amanhã (terça)", disse Isaias.
 
Em oito anos com os Liniers, ele disputou 187 partidas e marcou oito gols. Apesar de ser rotulado como um meia-armador, Cabral não possui o estilo de ser o cérebro da equipe. Ele atuou ao lado de Canteros e Allione, dois argentinos que vieram para o Brasil. O primeiro é titular do Flamengo e o segundo é apenas uma opção de Marcelo Oliveira no Palmeiras.
 
Ele jogou pela Seleção Argentina em duas oportunidades, amistosos contra Itália e Polônia em 2011. Na base do time nacional, ele venceu o Mundial Sub-20 em 2007 ao lado de Agüero, Di María, Banega e Sergio Romero, todos convocados para a Copa América no Chile.