O Cruzeiro foi derrotado pelo Internacional por 2 a 1 na noite deste domingo (7), no Beira Rio, em Porto Alegre. Em dia de festa para o colorado, que comemorava a chegada do atacante Diego Forlan, a equipe celeste não resistiu à dupla Oscar e Leandro Damião, que marcaram os gols do Inter, ainda no primeiro tempo. A Raposa, como no duelo contra o São Paulo, não jogou mal, mas pecava nas finalizações. Entretanto, Léo descontou com um bonito gol de bicicleta, já no segundo tempo.


A vitória deixou o Inter na quarta colocação do Campeonato Brasileiro, com 15 pontos ganhos. O Cruzeiro, que já havia perdido por 3 a 2 para o São Paulo na rodada passada, aparece logo atrás, com 14. As duas equipes voltarão a jogar no domingo de 15 de julho. O time gaúcho enfrentará o Santos novamente no Beira-Rio, enquanto o Cruzeiro receberá o Grêmio no Independência.

De volta ao Beira-Rio, desta vez como adversário do Internacional, o meio-campista Tinga se mostrou desacostumado ao clima de Porto Alegre. “Que frio!”, comentou, enquanto tentava aquecer o corpo com as mãos, já dentro de campo. Todo o Cruzeiro entrou frio na partida. Em pouco tempo, o time mineiro sofreu o primeiro gol.

O placar foi aberto justamente aos sete minutos – em sua apresentação, neste dia 7/7, o camisa 7 Diego Forlán já avisava que gostava da mística do número. Em bela jogada individual, Oscar invadiu a área do Cruzeiro e chutou forte, seco, para acertar a rede e fazer jus ao simbolismo apregoado pelo novo reforço colorado. 

O Cruzeiro esquentou à base dos gritos de Celso Roth. Irritado com a postura de sua equipe, o técnico gaúcho exigiu marcação mais ríspida no meio-campo e jogadas pela lateral esquerda. Foi por lá que o meia Montillo, geralmente contido com faltas, passou a incomodar a defesa do Inter. Anselmo Ramon, contudo, pecava nas finalizações.

O volante Willian Magrão, então, encarregou-se de criar a melhor chance de gol do Cruzeiro no primeiro tempo. Habituado a rivalizar com o Inter desde os tempos em que defendia o Grêmio, o jogador clareou e bateu forte da meia-lua. A bola acertou o travessão, assustando a torcida colorada.

O Inter não sucumbiu diante da pressão do Cruzeiro. Ao contrário. A aposta nos contra-ataques surtiu efeito. Aos 36 minutos, Leandro Damião recebeu bola bem enfiada por Dagoberto e concluiu cruzado para ampliar o marcador. Pouco depois, quase o próprio Dagoberto anotou o terceiro, ao driblar Léo em velocidade e errar o chute.

Celso Roth não se contentou apenas com uma bronca no intervalo. Trocou o defensor Victorino pelo atacante Wallyson, e a sua equipe ficou ainda mais ofensiva. Acuado, o Inter se acomodou com os contra-ataques, porém com muitos passes errados. A ponto de parte da torcida ficar impaciente, e Dagoberto erguer os braços para pedir apoio.

Como o Cruzeiro não conseguiu descontar em 10 minutos de segundo tempo, Roth voltou a fazer alterações. O experiente Souza entrou na vaga de Fabinho, e Diego Renan substituiu o machucado Everton. Logo em seguida, aos 19, os visitantes foram recompensados pela insistência. O ex-gremista Léo aproveitou sobra de bola em cobrança de escanteio e emendou de bicicleta para o gol.

O Inter acordou a tempo de evitar o pior. Após ser vazado, o time da casa voltou a atacar e reorganizou-se em campo. O técnico Dorival Júnior deu novo fôlego ao seu setor ofensivo com as entradas de Marcos Aurélio e Jajá nos lugares de Dagoberto e D’Alessandro – e ouviu gritos de “burro”. Sua equipe, entretanto, foi inteligente para administrar a vitória sob os olhares de Forlán.

FICHA TÉCNICA - INTERNACIONAL 2 X 1 CRUZEIRO


Local: Estádio Beira-Rio, Porto Alegre (RS)

Data: 7 de julho de 2012, sábado

Horário: 18h30 (de Brasília)

Árbitro: Marcelo de Lima Henrique (Fifa-RJ)

Assistentes: Marcos Santos Pessanha e Luiz Antônio Muniz de Oliveira (ambos do RJ)

Cartões amarelos: Nei, D’Alessandro e Muriel (Internacional); Mateus, Everton e Anselmo Ramon (Cruzeiro)

Gols: INTERNACIONAL: Oscar, aos 7, e Leandro Damião, aos 36 minutos do primeiro tempo; CRUZEIRO: Léo, aos 19 minutos do segundo tempo

INTERNACIONAL: Muriel; Nei, Bolívar, Índio e Fabrício; Elton, Josimar, D’Alessandro (Jajá) e Oscar (Bolatti); Dagoberto (Marcos Aurélio) e Leandro Damião. Técnico: Dorival Júnior

CRUZEIRO: Fábio; Léo, Victorino (Wallyson), Mateus e Everton (Diego Renan); Leandro Guerreiro, Willian Magrão, Tinga e Montillo; Fabinho (Souza) e Anselmo Ramon. Técnico: Celso Roth