O Cruzeiro ainda não deslanchou no Brasileiro. E está longe disso. A apatia do sistema ofensivo e os erros da defesa voltaram a aparecer na goleada sofrida para o Fluminense por 4 a 1, no último sábado (18), no Maracanã. O momento é de crise na Toca.

Foi a segunda vez que a Raposa comandada por Mano Menezes sofreu quatro gols em uma partida – em fevereiro do ano passado, na estreia da Libertadores, a equipe perdeu para o Racing por 4 a 2, no estádio El Cilindro, em Avellaneda.

A derrota para o Tricolor foi a terceira em três jogos como visitante nesta edição do Brasileirão – o time também perdeu para Flamengo e Inter, ambos por 3 a 1. Com o revés, o Cruzeiro se igualou a 2009 com o pior início de campanha atuando fora de casa na Era dos Pontos Corridos.

Para o técnico Mano Menezes, mais uma vez, as falhas foram essenciais para o resultado negativo. 

“É hora de ouvir, e é a hora de falar menos. Estamos tomando muitos gols, como tomamos esse de bola parada no fim do primeiro tempo, que não estamos acostumados a tomar. Tomamos um gol ridículo na volta do segundo tempo. Ridículo, porque é um chutão para frente. Nossa defesa, que sempre foi firme, bateu cabeça. Tomamos gol ridículo no quarto gol, numa lateral, na reta final do jogo”, destacou Mano Menezes. 

Semana cheia

Como o Cruzeiro não jogará no meio de semana, Mano Menezes terá tempo para fazer os ajustes na equipe. O próximo compromisso será apenas no domingo contra a Chapecoense, em Belo Horizonte, pela sexta rodada do Brasileiro. A representação do elenco acontecerá nesta terça-feira (21) à tarde. 

Leia mais:

Cruzeiro 2019 iguala 2009 e tem o pior início fora de casa na Era Pontos Corridos

Pela segunda vez, Cruzeiro de Mano Menezes sofre quatro gols em um só jogo