Um dos principais nomes do Cruzeiro, o meia Thiago Neves admitiu que o clube vive uma “pequena crise”. Diante de um momento tão conturbado, a diretoria solicitou quatro viaturas da Polícia Militar, em frente à Toca II, para dar segurança aos jogadores durante a reapresentação de ontem. No entanto, não houve manifestação contra a agremiação. Cerca de dez torcedores da torcida organizada Pavilhão Independente estiveram na porta da Toca para entregar uma carta em apoio aos atletas.

Na última segunda-feira (20), a Máfia Azul já havia divulgado uma nota, também de incentivo. Nas redes sociais, a torcida promete lotar o Independência neste domingo, contra a Chapecoense, pela sexta rodada do Brasileiro. O vice-presidente de futebol, Itair Machado, e o capitão do time, o volante Henrique, garantiram que a equipe dará a volta por cima. Para isso, será necessário dar fim a vários problemas. 
 

Campanha fraca:

Para quem conquistou o título mineiro de forma invicta e angariou o primeiro lugar do grupo B da Libertadores, o Cruzeiro faz uma campanha quase que vexatória no Brasileirão. Em 15º lugar, com seis pontos – três a mais que o Avaí, clube que abre o Z-4 –, a Raposa ainda não venceu fora de casa.

Presa fácil
Acostumada a dar o bote nos adversários, como aconteceu nas duas últimas Copas do Brasil, a Raposa acabou caindo perante outros três gigantes – Flamengo, Internacional e Fluminense –, atuando fora de casa. Como visitante, já são três derrotas.

Instabilidade defensiva
A Raposa detém a pior defesa do Brasileirão, ao lado do Vasco, com 11 gols sofridos em cinco partidas.

Ataque ineficiente
Na linha de frente, as coisas também não andam bem. Nove equipes possuem um desempenho melhor que o do Cruzeiro, que anotou apenas seis gols na competição nacional.

Fred, cadê você?
“Rei dos stories’, Fred ainda não balançou as redes no campeonato. Mas nem sempre a culpa foi dele. Companheiros como Pedro Rocha e Rodriguinho precisam ser mais competentes na função de servir o centroavante.

Esquema Previsível?
Mesmo nas vitórias sobre Ceará e Goiás, o time celeste penou e, em muitos momentos nesses dois embates, teve dificuldades para penetrar a aérea dos oponentes. Há quem diga que o Cruzeiro virou um time previsível. O técnico Mano Menezes admitiu, na entrevista coletiva do último sábado, que é ele quem tem que achar soluções para a equipe voltar ao caminho das vitórias. O comandante, inclusive, conta com o apoio da diretoria.

Lateral em baixa
A lateral direita se tornou mais um problema. Uma lesão no menisco do joelho esquerdo obrigará Orejuela a passar por cirurgia. A outra opção para o setor é Edilson, que, assim como grande parte da equipe, está em baixa na temporada – aliás, foi expulso na partida contra o Internacional.