“O Cruzeiro nunca caiu e não vai ser com a gente que vai cair”. Esta foi uma das frases do lateral Egídio nesta terça-feira (8) na Toca da Raposa II. Para evitar que a queda aconteça, o jogo desta quarta-feira (9), às 21h30, no Mineirão, contra o Fluminense é fundamental. 

Sem vencer há seis jogos no Campeonato Brasileiro, Egídio também utilizou a expressão “falta de sorte” em diversos momentos da entrevista coletiva para justificar a falta de gols e o momento complicado da equipe. O Cruzeiro marcou apenas 18 vezes e tem o terceiro pior ataque da competição. 

“Eu acho que é um pouco de (falta de) sorte, mas a sorte vem com trabalho. Hoje estamos trabalhando muito forte. O Abel é muito positivo. Ele tem colocado pontos positivos. Então, com os treinamentos aí, tenho certeza que vamos fazer um jogo nesta decisão contra o Fluminense”, destacou Egídio.  

“Acho que faltou sorte da bola entrar porque nós estamos criando. Estamos finalizando (...). Estamos criando jogadas e concluindo a gol. Está falando um pouco de sorte, para a bola bater na trave e entrar. A gente ter um acabamento melhor para poder fazer o gol”, completou. 

Egídio, que completa 200 jogos com a camisa cruzeirense contra o Fluminense, coleciona títulos pelo clube – dois Brasileiros, uma Copa do Brasil e três Estaduais. Mas, de acordo com o lateral, a grande conquista será escapar do rebaixamento. 

“Passar por uma situação dessa é muito desconfortável. A gente não quer sair na rua, sair com a esposa, com a esposa família para poder jantar. Porém, a responsabilidade é muito grande. O título nosso este ano é tirar o Cruzeiro dessa situação. É muito desconfortável ficar na zona de rebaixamento. Você olhar a tabela, você vira até o rosto quando ver o time lá em baixo”, lamentou. 

Com 20 pontos, o time celeste é o 18º colocado. Mesmo se vencer o Fluminense, a Raposa não deixará a zona de rebaixamento, mas se aproximará de concorrentes diretos, como o próprio Tricolor das Laranjeiras, que tem 25 pontos.