Não chega a ser uma obsessão. Mas, no Cruzeiro, superar recordes virou uma meta. Não por acaso, a partida deste domingo (7) às 16 horas contra o Fluminense, no Maracanã, pelo encerramento do primeiro turno do Campeonato Brasileiro, vem sendo encarada como uma decisão pela comissão técnica e pelos atletas.

Líder isolado com 42 pontos, o Cruzeiro pode superar a campanha obtida pelo rival Atlético em 2012 e, assim, garantir o melhor desempenho na primeira metade do campeonato desde 2006, quando a competição passou a ter 20 equipes participantes.

Há dois anos, o Galo de Ronaldinho Gaúcho fechou o primeiro turno com 43 pontos, um aproveitamento de 75,4%.

O rendimento do time de Marcelo Oliveira é de 77,8% e pode subir para até 78,9% em caso de vitória sobre o Tricolor. A fase é tão boa que, atualmente, já são oito pontos de folga em relação ao vice-líder Internacional. Se mantiver a margem ao término da rodada, a Raposa ainda garantirá a maior vantagem no topo da tabela já obtida na virada do primeiro para o segundo turno do Brasileirão.

Equilíbrio

Mas a tarefa cruzeirense não será fácil. Em quinto lugar com 30 pontos, o Flu sonha com o título e sabe que um tropeço contra o líder pode deixar o objetivo muito distante.

Além disso, a Raposa terá desfalques importantes. São os casos dos meias Ricardo Goulart e Everton Ribeiro, chamados pelo técnico Dunga para os amistosos do Brasil nos Estados Unidos, além do volante Lucas Silva e do atacante Alisson, convocados para a Seleção Sub-21. Pensando nisso, o técnico Marcelo Oliveira poupou vários titulares nessa quarta-feira (03) contra o Santa Rita, pela Copa do Brasil.

Outro fator é o retrospecto entre as duas equipes no Brasileirão. Nos últimos doze confrontos, cada um venceu cinco e houve dois empates. No total, foram 20 vitórias tricolores e 19 estreladas, além de 15 empates.

No ano passado, o Cruzeiro venceu por 1 a 0 no Mineirão e foi derrotado, pelo mesmo placar, no Maracanã. No retrospecto geral do duelo, o Fluminense possui uma vantagem significativa, com 30 vitórias, 21 derrotas e 17 empates.
 
Zagueiro já conta os dias para retornar
 
O zagueiro Bruno Rodrigo não vê a hora de voltar a atuar com a camisa do Cruzeiro. Submetido a uma cirurgia no pé-esquerdo, o defensor da Raposa completou três meses fora de combate e permanece sem previsão de retorno aos gramados.

Atualmente, ele realiza trabalhos de fisioterapia, com atividades leves, mas ainda sob os cuidados do departamento médico.

O tempo inativo incomoda o jogador, que segue trabalhando para voltar rapidamente. “Fico chateado por não estar jogando, não estar treinando, mas são coisas que acontecem, fazem parte da profissão. Tenho que dar o meu melhor para voltar. Fico até meio incomodado para voltar o quanto antes possível”, disse o zagueiro à TV Cruzeiro.

“Infelizmente tive que passar pela cirurgia, mas o Cruzeiro tem toda estrutura, principalmente o departamento médico, que nos dá todo o apoio. A família também é muito importante, a esposa está sempre junto comigo”, acrescentou.