De tatuagens com fotos de Adilson Batista a doações de cestas básicas. Os torcedores do Cruzeiro fazem diversos tipos de promessas se o clube não for rebaixado para a Série B do Campeonato Brasileiro. Para boa parte deles, evitar a queda inédita teria o mesmo sabor da conquista de um título.

Para não cair para a Segunda Divisão, a Raposa terá que vencer o Palmeiras, neste domingo, às 16h, no Mineirão, e torcer para o Ceará perder para o Botafogo, nos mesmos dia e horário, em confronto que será disputado no Engenhão, no Rio de Janeiro. 

A missão é difícil, e a matemática indica que a possibilidade de o Cruzeiro ser rebaixado é de 90,7%, segundo o site Probabilidades no Futebol, mantido pelo Departamento de Matemática da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG). Além disso, o time celeste não vence há oito jogos e marcou apenas um gol nas últimas sete partidas. 

Cálculos

Se os cálculos e o retrospecto recente deixam as contas complicadas, a esperança e a fé fazem os torcedores sonharem com uma reviravolta. 
É o caso do secretário Daniel Amaral, de 37 anos. Fanático pela Raposa, o cruzeirense acredita que é possível o clube permanecer na Série A: “Se o Cruzeiro escapar da queda, vou ajudar um lar de idosos e rezar uma missa mensalmente na igreja São Judas Tadeu (santo das causas impossíveis)”. 

torcedor


Amaral costuma se apegar na fé. Na vitória sobre o São Paulo por 1 a 0, no Mineirão, pela 26ª rodada do Campeonato Brasileiro, o torcedor entregou um terço para o meia Thiago Neves, que marcou o gol da vitória da Raposa. 

Tatuagens 

Muitos torcedores vão eternizar no próprio corpo emblemáticas imagens ou inscrições se o Cruzeiro escapar da queda. A designer de interiores Alice Prates, de 23 anos, ficou de tatuar a data da última rodada do campeonato (08/12/2019) e os minutos do hipotético gol da salvação. “Só estou esperando o time escapar para pagar a promessa. Meu tatuador já está me esperando. Vai dar certo”, destacou. 

O empresário Eduardo de Freitas Rodrigues Junior, de 33 anos, vai estampar a foto de Adilson Batista no braço. Já o vendedor Matheus Leandro, de 27, vai tatuar uma releitura do gol (da salvação) no jogo.

Tem também aqueles torcedores que nunca fizeram uma tatuagem, mas que, se a Raposa escapar do rebaixamento, farão uma imagem pela primeira vez no corpo.

O assistente comercial Rômulo Cordeiro Galvão, de 23 anos, é um deles. “Vou fazer uma tatuagem de cinco estrelas no braço e doações de cestas básicas para entidades carentes”, disse. 

Os cruzeirenses lutam contra a matemática e redobram a fé para evitar o maior vexame nos quase 99 anos do clube.