Análise do jornalista Martín Lemos, da rádio “Gol de Vestuario”, de Buenos Aires (Argentina)

Desde a aparição no Chacarita, que hoje está na Segunda Divisão do futebol argentino, Matias Pisano está passando por etapas de consolidação. Após a chegada ao Independiente para disputar a Segunda Divisão, ele cresceu muito.

Futebolisticamente, é um jogador de características ofensivas. Entre as habilidades, destaca-se o primeiro passe, ainda que dentro das características ele não seja um condutor do jogo.
 
É um jogador vertical, que tem um pouco de dificuldade para voltar. É um meio-campista com muita verticalidade para atuar atrás do atacante, com uma função definida no ataque.

Porém, tem algumas deficiências de jogo. Uma delas é jogar sempre para a perna boa, que é a canhota, e não tentar usar a perna destra para arriscar os chutes a gol.

Outra deficiência é a irregularidade. Aparece muito bem em alguns momentos, mas depois não consegue manter a regularidade. No último ano, a irregularidade lhe custou a posição, já que Mauricio Pellegrino (treinador do Independiente) não o considerava mais um dos 11 titulares.

Em resumo, o Cruzeiro leva um bom jogador, mas que tem que trabalhar muitas questões do jogo.
 

Arte