Mano Menezes questionou nesta sexta-feira (29) o uso das imagens de televisão para punir jogadores e clubes. O técnico do Corinthians falou especificamente sobre os lances envolvendo dois de seus jogadores, o atacante Guerrero e o meia Petros.

"O diretor de TV pode decidir sobre a imagem que vai ao ar ou não vai ao ar. Ele passa a ter uma importância que temos de discutir", afirmou o treinador em entrevista coletiva no CT Joaquim Grava.

Petros foi julgado e condenado a cumprir seis meses de suspensão por uma trombada no árbitro Raphael Claus, no clássico contra o Santos, no último dia 10, pelo Campeonato Brasileiro.

O jogador, que só está apto a atuar graças a um efeito suspensivo, aguarda novo julgamento. Mas ele só foi punido porque o STJD solicitou as imagens de televisão. O juiz sequer havia relatado o lance na primeira versão da súmula. "O caso Petros não foi ao ar durante o primeiro tempo, a imagem foi encontrada no intervalo do jogo. Se não é encontrada, o fato não tinha acontecido?", disse Mano.

Guerrero também se envolveu num lance parecido em jogo pela Copa do Brasil. Contra o Bragantino, na última quarta-feira, o peruano trombou com o juiz Leandro Bizzio Marinho. As tevês exploraram o lance e o STJD, que solicitou as imagens, pode denunciar o atacante.

Para Mano, o Corinthians sofre com esse problema mais que os outros clubes porque seus jogos são transmitidos com mais frequência. "A imagem pode não acontecer em jogos menores, o Corinthians está sendo prejudicado por ter tanta divulgação na mídia, tantos jogos ao vivo. Isso pode ser prejudicial e devemos pensar ali na frente sobre isso."