O encontro de grandes equipes do futebol brasileiro com adversários que possuem condições modestas nos possibilita enxergar o tamanho do contraste existente no futebol. Por ser uma competição milionária, o avanço fase a fase na Copa do Brasil traz aos clubes menores a esperança de sonhar com mais estrutura e adquirir bens materiais considerados básicos para as grandes instituições e com a Juazeirense não é diferente. 

A equipe já fez história no torneio ao conquistar a inédita vaga na terceira fase da Copa do Brasil.  Até aqui, o clube arrecadou pouco mais de R$ 2,9 mi. Jogar as oitavas significa praticamente dobrar o valor já conquistado, uma vez que quem avançar vai embolsar R$ 2,7 mi. Se conseguir o feito, o clube baiano já tem três prioridades definidas: comprar um micro-ônibus, construir o centro de treinamento e quitar a folha salarial dos jogadores e funcionários até o fim da temporada. 

Com o que já foi arrecadado, a Juazeirense pode investir no primeiro item da lista, mas não consegue avançar no plano de ter o seu CT. Atualmente, o time treina no Estádio Adauto Moraes, onde manda seus jogos. Instalações para cuidados médicos e academia são utilizadas por meio de parcerias. 

Já o veículo que o clube possui é utilizado para a  circulação dentro cidade e a ideia é comprar um maior para garantir mais conforto e espaço para os atletas. 

A folha salarial da Juazeirense varia de R$ 180 a R$ 200 mil. Na disputa da Série D do Brasileiro, o avanço às oitavas de final, diante do Cruzeiro, nesta quarta-feira, às 19h, no Adauto Moraes, garante tranquilidade à diretoria para sonhar com o acesso à Terceira Divisão Nacional.