Apesar da situação complicada na tabela, o técnico Abel Braga celebrou o empate em 0 a 0 com o Athletico-PR, nessa quarta-feira (6), na Arena da Baixada. O treinador enfatizou a entrega do time, que, pelo segundo jogo seguido, perdeu um jogador por expulsão – Sassá recebeu o segundo cartão amarelo aos 14 minutos da etapa final. 

“Minha equipe foi guerreira demais. Orejuela fora, Thiago (Neves) fora, Fred fora. Os jogadores foram de uma entrega excepcional contra uma equipe que é muito difícil. Não tiveram a bola. Poderia ser diferente. No 11 contra 11, em cada momento que a gente recuperava (a bola), o gol poderia sair pelo excelente que estava fazendo o Sassá, o Robinho bem, o Ederson com saída (de bola), o Henrique com saída (de bola). Nós quebramos a intensidade do Athletico aqui dentro. Depois da expulsão, claro que eles vieram com tudo”, explicou Abel Braga. 

Abel

O treinador, mais uma vez, comentou sobre a utilização do VAR. Depois de soltar o verbo no empate em 1 a 1 com o Fortaleza, no último sábado (2), no Mineirão, o treinador fez críticas à arbitragem, mas se conteve nas declarações. 

"A única coisa que eu achei estranho é que na hora ele (árbitro) teria que dar o gol, depois ele olhar o VAR. Achei estranho isso porque ele ficou parado e não apitou nada. Vou fazer uma crítica. Semana passada fiquei decepcionado com os critérios. Toda vez que se usa alguma coisa de VAR, nunca se erra a favor, sempre se erra contra. Quando você coloca o peito na bola, não tem como eliminar o volume do braço. Ele invalidou, foi correto, bateu na mão do atacante, mas precisava do amarelo? Ele (Sassá) não quis enganar ninguém (...) No fundo, estas novas regras, ninguém consegue entender. Depois do pênalti que não foi dado no David (contra o Fortaleza), dando impedimento, não dá para entender", destacou. 

O próximo jogo do Cruzeiro será contra o Atlético, domingo (10), no Mineirão. Para o confronto, Abel Braga contará com retornos de Orejuela e Fred, que cumpriram suspensão contra o Athletico-PR, e Thiago Neves, poupado contra o Furacão. 

Na 14ª posição com 34 pontos, a Raposa terá que torcer, nesta quinta-feira (7) por tropeços do Ceará contra o Internacional, em Fortaleza, do Fluminense diante do São Paulo, no Morumbi, e do Botafogo contra o Flamengo, no Engenhão, para não voltar à zona de rebaixamento.