A queda de produção do Cruzeiro nos dois últimos meses coincide com o rendimento abaixo do esperado de alguns jogadores. Um deles é o meia Rodriguinho, que, depois de um belo começo no time celeste, com gols e assistências, não conseguiu brilhar nos jogos do Campeonato Brasileiro e na partida de ida das quartas de final da Copa do Brasil - empate em 1 a 1 contra o Fluminense, no Maracanã. 

Uma das justificativas para a queda de produção do jogador são as dores lombares. Por isso, para voltar a ser peça fundamental no segundo semestre, Rodriguinho tem recebido tratamento especial do dapartamento médico do Cruzeiro. 

“Querendo ou não, ele (Rodriguinho) veio de um campeonato onde estava jogando pouco, com as características bem distintas da nossa, e exatamente por isso algumas lesões do passado vieram visitá-lo novamente para incomodar, mas está sendo feito um trabalho individualizado nele, exatamente nessa parada, o Charles Costa (fisioterapeuta) montou uma ficha individualizada visando exatamente isso, pois nosso mês de julho será de jogos decisivos, de clássicos, enfim, e a gente está usando esse período não só como pausa dos jogos, mas sim para recuperação e ganho especifico desses atletas que estavam com seu rendimento comprometido por lesões anteriores pré-existentes”, explicou o médico do clube, Sérgio Campolina, ao site oficial do Cruzeiro. 

Rodriguinho foi a principal contratação do Cruzeiro em 2019. Com oito gols, o armador é o vice-artilheiro da equipe no ano, atrás apenas de Fred, que balançou as redes adversárias 16 vezes.