Preocupados com os conflitos entre as torcidas organizadas Máfia Azul e Pavilhão Independente, dirigentes da Federação Mineira de Futebol e do Cruzeiro pediram apoio à Polícia Militar e ao Ministério Público, ontem, durante a reunião, na sede da entidade, que definiu o esquema de segurança para o jogo entre Cruzeiro e Palmeiras, domingo, no Independência.

Nas partidas contra São Paulo e Flamengo, torcedores de duas organizadas do Cruzeiro entraram em conflito nas ruas do entorno do estádio, o que resultou na prisão de 13 integrantes das torcidas.

O tenente-coronel Cícero Cunha, do Batalhão de Policiamento Especial, prometeu, na reunião, fechar o cerco contra “os baderneiros”. Ele garantiu que já detectou os integrantes que estão provocando os conflitos. O MP também prometeu punição rigorosa aos envolvidos em confusões no entorno do estádio.