A semana do clássico mineiro está longe de ser tranquila para o Cruzeiro. Não bastasse a pressão pela vitória e a ressaca da goleada sofrida para o Coritiba no último final de semana, 4 a 0, ainda incomodar, os jogadores e diretoria terão que conviver com manifestações da torcida.

Serão dois protestos realizados nesta semana. O primeiro deles ocorre nesta quinta-feira (23) e terá como alvo os dirigentes do clube. Os torcedores vão, por volta de 12h30, até a sede administrativa da Raposa, no Barro Preto, para manifestar a insatisfação com o atual desempenho cruzeirense.

No sábado, véspera do clássico, os jogadores terão que escutar os protestos cruzeirenses. Por volta de 9h, na Toca da Raposa II, a torcida celeste vai exigir a vitória no jogo mais importante de Minas Gerais.

O presidente do clube, Gilvan de Pinho Tavares, pediu, entretanto, que os cruzeirenses se preocupem em incentivar os atletas. Afinal, no Independência, apenas a torcida da Raposa estará presente.

”Neste momento, é hora da torcida prestigiar o time, incentivar o time, e não fazer movimentos que possam tirar o estímulo dos jogadores. É isso que eu quero pedir à torcida, cobrem da diretoria, cobrem reforços, cobrem o que quiserem da diretoria, não dos jogadores”, disse à Itatiaia.

A Raposa está na oitava colocação, com 27 pontos.