Chegou a hora dos “esquecidos” mostrarem valor. Campeão brasileiro com duas rodadas de antecedência, o Cruzeiro não tem mais nenhuma pretensão na competição nacional. Domingo, a Raposa viaja até Santa Catarina para encarar a Chapecoense, às 19h30, na Arena Condá, em Chapecó, pensando em 2015 e com muitos jogadores tentando garantir um lugar no concorrido grupo. 
 
Com os principais atletas em ritmo de férias, o técnico Marcelo Oliveira mandará a campo um time de reservas. A tendência é que nenhum jogador que entrou em campo na decisão contra o Atlético nessa quarta-feita (26), pela Copa do Brasil, seja aproveitado.
 
Com isso, atletas que pouco apareceram nas últimas rodadas, como o zagueiro Alex, os volantes Willian Farias e Eurico, o meia Marlone e os atacantes Borges, Dagoberto e Neílton deverão ter a oportunidade de mostrarem valor para o treinador.
 
Alguns têm o futuro incerto na Toca da Raposa. O caso mais emblemático é do atacante Borges, que tem seus dias contados no Cruzeiro, já que seu contrato encerra no fim do ano. Artilheiro do Cruzeiro em 2013, com 19 gols, e um dos destaques na conquista do tricampeonato brasileiro, ele não conseguiu obter o mesmo sucesso neste ano, por causa de lesões.
 
Na atual temporada, o centroavante esteve em campo apenas 19 vezes e só marcou dois gols. Com o baixo rendimento em 2014, dificilmente permanecerá no clube.
 
Recorde
 
Mesmo já tendo conquistado o título, o Cruzeiro tem outro objetivo no Brasileirão. Com 76 pontos conquistados até agora, o time tem a possibilidade de alcançar a maior pontuação de um campeão nacional desde a primeira edição com o atual formato, em 2006, com pontos corridos e 20 clubes.
 
Faltando seis pontos em disputa, caso obtenha pelo menos uma vitória, o time chegará a 79, pontuação superior à de todos os vencedores dos últimos nove anos.
 
A melhor campanha pertence ao São Paulo. Em 2006, o tricolor paulista alcançou 78 pontos. No ano seguinte, chegou a 77 e em 2008 fechou com 75. Em 2013, quando abocanhou o título com quatro rodadas de antecedência, o Cruzeiro encerrou o Brasileirão com 76 pontos.
 
Após o título diante do Vitória, o time conquistou apenas dois pontos.