Há pouco mais de dois anos, Marcelo Oliveira chegou ao comando do Cruzeiro cercado de desconfiança da China Azul por causa da ligação que ele teve com o Atlético no passado. Dois títulos brasileiros depois, a idolatria da arquibancada é praticamente unânime. Responsável pelo melhor rendimento da história da Raposa, o treinador pode alcançar mais uma marca no clube estrelado.

Invicto nesta temporada, Marcelo caminha para igualar o próprio recorde dele no Cruzeiro. Em 2013, logo que assumiu o time, o técnico conseguiu uma sequência de 15 partidas de invencibilidade, com 14 vitórias e um empate. A série foi quebrada na derrota por 3 a 0 para o Atlético, no Independência, na primeira partida da final do Campeonato Mineiro.

Naquela oportunidade, o time celeste obteve o impressionante aproveitamento de 95,5%. Foi a melhor sequência do treinador desde o início da caminhada dele na Toca da Raposa, levando em conta apenas partidas oficiais, ou seja, sem contabilizar os amistosos.

Assim como em 2013, na atual temporada o Cruzeiro está em processo de formação da equipe. Em onze partidas, o time engatou sete vitórias e quatro empates, rendimento de 75,7%. No total, a Raposa balançou as redes adversárias em 17 oportunidades e sofreu quatro gols.

No ano passado, com o time já formado, o Cruzeiro teve sua primeira derrota na quinta partida do ano, quando foi superado pelo Real Garcilaso por 2 a 1, na altitude de Huancayo, no Peru, na estreia da equipe na Copa Libertadores.

“O Marcelo entende muito de futebol. Viveu isso na época em que ele jogou e passa a experiência para os jogadores, explora o melhor de cada atleta, e nós temos que entender isso. Estou assimilando o que ele passa para melhorar meu rendimento dentro de campo. Tenho dado o meu melhor”, elogia o atacante Leandro Damião, artilheiro do Cruzeiro em 2015 com oito gols.


LIVRO DOS RECORDES

Estabelecer recordes não é novidade na carreira do treinador cruzeirense. Em 2011, quando dirigia o Coritiba, Marcelo Oliveira emplacou uma sequência de 24 vitórias. O feito foi registrado no Guinness Book.

Para os atletas do Cruzeiro, a forma com que o treinador conversa com os jogadores é o diferencial para o sucesso dentro das quatro linhas. “Além de ser um excelente técnico, chegando em finais, conquistando títulos, tive a oportunidade de trabalhar com ele em 2010. O Marcelo é um treinador que conversa muito com os atletas, independentemente de quem esteja jogando. Ele sempre está passando confiança. É um fato positivo, não é à toa que a equipe vem conquistando títulos com ele”, destacou o lateral Gilson.

No último domingo, contra o América, pelo Campeonato Mineiro, no Independência, Marcelo Oliveira alcançou sua 100ª vitória à frente do Cruzeiro. O treinador comandou o time celeste em 152 partidas, com mais 29 empates e 23 derrotas, um aproveitamento de 72,1%.


Com três mudanças, time que pega Mamoré será definido nesta terça-feira (24)

O técnico Marcelo Oliveira pretende definir no treinamento da tarde desta terça-feira (24), na Toca da Raposa II, a equipe que entrará em campo para enfrentar o Mamoré, às 22h desta quarta-feira (25), no Mineirão, em partida adiada da oitava rodada do Campeonato Mineiro.

O treinador não poderá contar com o lateral-esquerdo Mena, o meia Arrascaeta e o atacante Alisson, que estarão a serviço das seleções do Chile, Uruguai e Brasileira Sub-20, respectivamente. A tendência é que Gilson, Judivan e o camaronês Joel assumam as vagas.

“O professor (Marcelo) ainda não definiu o time, mas se ele optar por mim será mais uma oportunidade que eu terei para mostrar meu futebol. Vou desempenhar o meu melhor e me entregar ao máximo, como eu sempre fiz, para ajudar os meus companheiros”, destaca Gilson.

Na segunda colocação do Estadual, com 20 pontos, o Cruzeiro pode reassumir a ponta caso pelo menos empate com o Mamoré. “Vamos jogar em casa, diante de nossa torcida. Então, temos que impor nosso ritmo dentro de campo e ir em busca da vitória e da liderança”, conclui Gilson.