O experiente Vagner Mancini foi o nome escolhido pela diretoria do América para dirigir o time na Série A do Campeonato Brasileiro. Com apenas um empate em cinco jogos na competição, o treinador terá muito trabalho pela frente para tentar colocar o Coelho nos trilhos. São muitos os desafios iniciais para o comandante, que inicia os treinamentos nesta terça-feira (22), no CT Lanna Drumond.

Jejum de vitórias

O América não vence uma partida desde as semifinais do Campeonato Mineiro diante do Cruzeiro. O último triunfo foi no dia 9 de maio, no jogo da volta contra a Raposa, por 3 a 1. De lá para cá, o Coelho somou nove duelos, empatou cinco e perdeu quatro. 

Nas finais do Estadual, contra o Atlético, foram dois empates. Na Copa do Brasil, diante do Criciúma, passou pela mesma situação: dois resultados de igualdade e uma eliminação nos pênaltis. No Brasileiro, são cinco jogos, um empate e quatro derrotas. 

Baixo poderio ofensivo 

Nesses nove jogos sem vencer, o América marcou apenas três gols, alcançando a baixa média de 0,33 por partida. No Campeonato Brasileiro, o primeiro saiu apenas nesse domingo (20), dos pés do meia Geovane. 

Cobrança de pênaltis

As penalidades têm sido outro problema para o América. Das últimas cobranças - contando a disputa em série contra o Criciúma pela Copa do Brasil - o Coelho perdeu seis de oito tentativas. Contra o Atlético, na final do Estadual, Rodolfo perdeu uma cobrança que poderia ter dado o título ao Coelho.

Depois, no tempo normal da primeira partida contra o Criciúma, o atacante americano voltou a desperdiçar uma tentativa. Nesse domingo, foi a vez de Ademir entrar para as estatísticas negativas e não converter a penalidade contra o Palmeiras ainda no primeiro tempo.

Leia Mais:
Com retorno do maestro Nacho, Atlético recebe a Chapecoense no Mineirão
Falhas individuais comprometem estratégias de jogo do Cruzeiro neste início de Série B
Cauan de Almeida volta a citar evolução do América e 'passa o bastão' para Vagner Mancini