O Tribunal Regional do Trabalho de Minas Gerais (TRT-MG) negou o pedido de rescisão indireta feito pelo armador Thiago Neves de seu contrato com o Cruzeiro. A decisão foi do desembargador Manoel Barbosa da Silva. A informação foi antecipada pela coluna de Ancelmo Góis, no jornal O Globo.

Na ação, o jogador cobra R$ 16 milhões da Raposa de salários e direitos trabalhistas não pagos. Thiago Neves tentou rescindir seu contrato com o Cruzeiro por meio de uma tutela antecipada para que haja uma liberação imediata e o atleta consiga assinar com outra equipe enquanto o processo transcorre. 

thiago neves

A decisão não é definitiva e não indica que o jogador permaneça no clube. Thiago Neves, que tem contrato até o fim de 2020, ainda pode recorrer da decisão. 

Na Raposa desde 2017, o armador conquistou dois títulos do Campeonato Mineiro (2018 e 2019) e duas Copas do Brasil (2017 e 2018). 

Em nota divulgada no dia 20 de dezembro, o staff de Thiago Neves explicou o motivo da ação contra o Cruzeiro. 

"O jogador Thiago Neves, representado pela assessoria jurídica da Fatto Gestão (conceituado escritório Martins Castro Monteiro Advogados), empresa responsável pela carreira do atleta, em virtude da falta de pagamento de três meses de salário, sete meses de direito de imagem, encargos trabalhistas em aberto, somadas às ameaças sofridas contra si e sua família e, por fim, às declarações de dirigentes do Cruzeiro, o atleta Thiago Neves não teve outra alternativa senão propor uma ação trabalhista contra o Cruzeiro Esporte Clube pleiteando a rescisão do contrato de trabalho e recebimento dos valores devidos. O atleta não busca nada além dos seus direitos. 

Vale destacar que desde quando desembarcou em Belo Horizonte, em 2017, Thiago se comprometeu com o clube. Foram151 jogos, 41 gols e 23 assistências. Os títulos nacionais conquistados, duas Copas do Brasil, e os dois Campeonato Mineiros que o jogador obteve, inclusive como protagonista, falam por si".

Fabício Bruno

Situação parecida vive o zagueiro Fabrício Bruno. Por causa das pendências salariais, o prata da casa acionou à Justiça do Trabalho e pede rescisão unilateral do seu contrato com o Cruzeiro. O Hoje em Dia teve acesso ao processo em que o zagueiro cobra R$ 3,554,568.66 pelo não pagamento de salários e direitos de imagem. 

Como a primeira audiência do caso está marcada apenas para o 8 de fevereiro de 2020, os advogados do zagueiro entraram com um Pedido de Tutela antecipada, para tentar a liberação do clube e, assim, ficar livre para acertar com outra equipe. Entretanto esse pedido inicial foi negado.